domingo, 30 de junho de 2013

Vamos mal, obrigado!

Por Pedro Luiz Rodrigues

Não há, ainda, razão para desespero. Guardemos a exasperação para o segundo semestre quando, aí sim, podemos ter resultados econômicos verdadeiramente desanimadores.

A imprensa especializada tem apontado para a perspectiva de uma taxa de crescimento econômico entre zero, com tendência de declínio.
Em outras palavras, continuamos tendo a impressão de andar, mas só fazemos e nos enchafurdar no charco.
Como já aconteceu em 2010 e 2011, começamos o ano  cheios de animação, com nossas  autoridades esbajando otimismo, confiantes de que em termos de (des)crescimento econômico teríamos deixado para trás os dias de maior aflição.

Desta vez não fomos o otimismo excessivo contagiou até o Fundo Monetário Internacional, habitualmente comedido quando se trata de futurologia, que estimou o crescimento do Brasil  em 2013, ao extraordinário nível de 3,5%.

Mas nos radares do mundo político, o que importa é que neste ano, o terceiro de enfiada, continuaremos garbosamente avançando para os lados, com crescimento miúdo e inflação graúda.

Aos pés dos ouvidos há quem, no Governo, bem enfronhado nos assuntos econômicos e financeiros, fale de perspectivas ainda mais sombrias de agora ao fim do ano ano.

Ontem, o Banco Central reduziu a previsão de crescimento do País (que já havia sido antes reduzida de 3,5% para 3,1%) para mais modestos 2,7%. E a inflação, esta continua firme, estimada em 6%.

 Os dados que vêm da economia real indicam que a indústria está tendo um mês de junho pouco vigoroso. A venda de automóveis está em retração e o setor de eletroeletrônicas enfrenta uma situação verdadeiramente preocupante.

Cristovam alerta para risco de ‘manipulação’ em plebiscito sobre reforma política


cristovamO senador Cristovam Buarque (PDT-DF) voltou a criticar a ideia da realização de um plebiscito sobre a reforma política, medida defendida pela presidente Dilma Rousseff. Em Plenário, nesta sexta-feira (28), além de afirmar a impropriedade desse instrumento para o tema, ele mencionou o risco de a consulta popular ser forjada para atender aos interesses do governo.
- Pode vir com perguntas que terão certa manipulação, que farão as pessoas votarem com o governo – afirmou.
Cristovam mencionou declaração do ministro da Educação, Aloizio Mercadante, para justificar seu receio de que o Congresso Nacional fique engessado depois da chegada, na terça-feira (2), da mensagem de Dilma Rousseff que tratará do plebiscito.  Segundo ele, Mercadante disse que o Legislativo ficará obrigado a seguir o resultado expresso na consulta, pois senão será criada uma “crise de legitimidade”.
Vai ser difícil a gente dizer não – admitiu.
O senador questionou ainda a multiplicidade de funções ocupadas por Mercante, considerado, segundo observou, como atual coordenador político do governo. Cristovam disse ter a “sensação de que o Ministério da Educação está abandonado”.
Em aparte, Pedro Simon (PMDB-RS) falou da “capacidade impressionante” do ministro. Lembrou que Mercadante já atuava como conselheiro econômico e que hoje, envolvido com a área política, conforme disse, já vem sendo cotado para a Casa Civil.
- Ele [Mercadante] é capaz para qualquer ministério, mas não todos os ministérios – observou Cristovam.
Redução de ministérios
Ainda sobre Dilma, o pedetista afirmou que a presidente, assim como todos os políticos ainda não se dirigiu à população que está nas ruas para dizer que seu governo vem errando. Além de pedir desculpas, conforme o senador, a presidente tem que “mostrar como sair do erro”. Para isso, no entanto, conforme Cristovam, Dilma precisaria tomar decisões – como a redução do número de ministérios – que poderão contrariar seu projeto de reeleição.
- O maior inimigo da presidente Dilma é a candidata Dilma. A candidata não deixa a presidente agir – afirmou.
O senador abordou principalmente discurso que fez em Plenário, ainda em 2005, quando também ocorreram manifestações de rua em Brasília. Naquele momento, conforme assinalou, já ecoava a mensagem de insatisfação contra toda a classe política, “corruptos e não corruptos”. No discurso, ele dizia que não iria demorar até que a insatisfação levasse mais “centenas de milhares” de pessoas às ruas.
- Eu errei na forma, pois o que vemos não são centenas de milhares e, sim, mais de dois milhões de pessoas – comentou.
Cristovam destacou trechos do antigo discurso em que alertava para importância de temas que eram negligenciados, como reforma política, educação de base, sistema agrário e o problema da concentração de renda. Outro ponto era a corrupção, inclusive o que ele chamava de “corrupção das prioridades” – os gastos em coisas, como prédios de luxo, que não atacam os problemas fundamentais, como a questão do saneamento básico.
O senador – que naquele momento era integrante do PT, mas já estava afastado do cargo de ministro da Educação – disse continuar convencido de que as reformas não viriam apenas por meio dos partidos, mas de movimento mais amplo da sociedade, como já aconteceu em outros períodos no país. Ele observou que o PT foi o primeiro partido que chegou ao poder encarnando a transformação social e frustrou as expectativas da sociedade.
Fonte: Agência Senado


sábado, 29 de junho de 2013

Pirotecnia e factóides Tornar corrupção em crime hediondo é conversa para inglês ver


Mary Juruna/MidiaNews
Clique para ampliar 
O Governo assim como nossos congressistas são cegos e surdos, pena não serem mudos. Preferia a inação dos que as ações propostas e os oportunismos dos políticos querendo cada um fazer prevalecer suas posições. Fazer um plebiscito é uma asneira tirânica, algo sem pé nem cabeça, apenas querendo aval para se passar posições políticas esdrúxulas e minoritárias.

Alguém, senão políticos canalhas, está querendo discutir se o voto deve ser proporcional, distrital ou misto? Alguém está querendo discutir voto em lista fechada ou aberta? Alguém está querendo financiamento público das campanhas, senão os malandros dos políticos, que não satisfeitos em conseguir dinheiro privado, querem ainda roubar os cofres públicos para seus interesses privados?

Não!

Se for para colocar alguma coisa em plebiscito, por que não perguntam se o povo quer que continue a obrigatoriedade do voto ou que se torne facultativo (muito mais democrático), ou ainda que continue a existir a excrescência do Fundo Partidário (algo que o povo tem que pagar para os interesses privados dos partidos) ou não? 
"A realidade é que os políticos e governantes não querem atender nenhuma reivindicação; estão apenas preocupados com as eleições."


Concretamente não temos nada, senão factoides e pirotecnias: o que foi destinado à educação e a saúde é um dinheiro que na melhor das hipóteses só se terá em 2020, e até lá, o que vão fazer?

Campanhas eleitorais....... A realidade é que os políticos e governantes não querem atender nenhuma reivindicação; estão apenas preocupados com as eleições. Tornar o crime de corrupção em crime hediondo é conversa para inglês ver, visto que nem ao menos cumprem com a lei já existente, deixando quatro bandidos ganhando (e muito bem!) salários e mordomias no Congresso sem cassá-los.

O que está no centro da agenda governamental e do Congresso são as eleições, como farão para continuarem desfrutando das mordomias dos seus postos. E o plebiscito com perguntas que interessam apenas ao PT é tudo que pensam, como se isso fosse resolver nossos problemas.

O que menos importa é quem são os políticos, pois os mesmos só agem de acordo com os interesses populares quando a Sociedade Civil faz pressão sobre eles, e isso ocorre seja de que partido for.

Só rejeitaram a PEC 37 por pressão popular, pois até então estavam todos propensos a aprová-la. Além disso, supondo que o povo aprove coisas no plebiscito, que garantia teremos que os políticos não desvirtuarão nos seus acordos de canalhas?

O que está claro é a incapacidade da classe política de governar ou legislar, e só com muita manifestação se colocará esse país numa direção menos errática.

ROBERTO DE BARROS FREITE
 é filósofo, doutor em Ética e Filosofia Política e em Educação e professor da UFMT.

sexta-feira, 28 de junho de 2013

Dos centavos aos milhões

26 de Junho de 2013

Começou por causa de 20 centavos a mais na passagem de ônibus em São Paulo; agora são milhões. A população pensante perdeu a paciência. Começou com jovens e agora os manifestantes são crianças, moços e gente madura. O protesto ganhou as ruas e janelas de quase todas as cidades do Brasil. A primeira vaia abriu a Copa das Confederações e abriu as manifestações. Um estádio caríssimo, com festim no camarote VIP, contrastando com escolas e hospitais na miséria, mau transporte coletivo e insegurança pública assustadora. Contra os manifestantes que exerciam o direito constitucional de reunirem-se sem armas, as armas da polícia, com exageros que só fizeram crescer os protestos. Mas a polícia não foi eficaz para conter delinqüentes que promovem saques e desviam as atenções do principal, que são as mensagens do povo, a voz das ruas.

Quase uma semana depois da primeira vaia, a presidente fez um pronunciamento. "Poderemos fazer melhor e mais rápido muita coisa que o Brasil não conseguiu realizar por causa de limitações políticas e econômicas." Ah, foi o Brasil que não conseguiu? Ou foi o governo, que agora diz que pode fazer mais rápido e melhor que o Brasil? Limitações políticas? Como assim? Em 513 deputados federais, o governo tem 425; em 81 senadores, o governo tem 55. Limitações econômicas? Como assim, se construímos tantos estádios? E só neste ano, o povo já pagou 750 bilhões de reais de impostos e contribuições obrigatórias. Mais adiante, se referindo ao vandalismo, ela disse "Não podemos conviver com essa violência que envergonha o país". Como assim? Os governos não têm convivido com 150 assassinatos por dia, todos os dias? Essa violência não conta?

O discurso à Nação serviu para dizer que o governo vai, sim, importar médicos cubanos e que vai, sim, contrariar as ruas e fazer a Copa do Mundo. Quando terminou o pronunciamento na TV, aconteceu na Barra da Tijuca, Rio de Janeiro, uma vaia ainda mais estrondosa que a do estádio. À medida em que ela ia falando, as pessoas gritavam nas janelas, reagindo ao que ouviam. Ao fim, luzes dos apartamentos piscavam enquanto o clamor se tornava uníssono. Está em várias gravações feitas por moradores de lá. A percepção é a de que as autoridades falam num Brasil diferente do real - vai tudo bem naquele Brasil róseo-oficial.

No site do jornal O Globo, foi feita uma pesquisa sobre a motivação de quem sai às ruas. O motivo inicial, preço de passagem de ônibus, fica em 1%. A maioria, 54% diz que é por uma insatisfação generalizada contra tudo que está errado. Se os eleitos em geral tivessem humildade, se perguntariam sobre o que deixaram de fazer ou o que fizeram errado. Com tanto dinheiro recolhido dos impostos de todos, por que falta para prestar bons serviços públicos. Além de olharmos para os estádios, temos o superfaturamento geral, as propinas, o empreguismo e, sobretudo, a crença de que o Brasil é um gigante adormecido. Se quisesse dar uma resposta às ruas, a presidente começaria extinguindo metade dos ministérios e dos cargos em comissão. E proporia, na Constituição, mais uma característica do serviço público: que todos os seus integrantes fossem obrigados a usar serviços públicos de educação, saúde e transporte. A mudança iria começar.
Alexandre Garcia é jornalista em Brasília

Aprendeu cedo

Crime hediondo

Taques teria "segurado" projeto de colega

MidiaNews
Clique para ampliar 
Taques e Buarque, do PDT: projetos iguais e constrangimento no Senado
DA REDAÇÃO
Deu na coluna "Esplanada", do jornalista Leadro Mazzini, no site UOL. Um clima de constrangimento tomou o Senado. Dois projetos de senadores do PDT previam que corrupção passiva e ativa se tornassem crimes hediondos, mas só um deles avançou. O presidente do Congresso,Renan Calheiros (PMDB-AL), colocou em pauta e o plenário aprovou o PLS 204/2011, de Pedro Taques (MT), que tramitava na Comissão de Constituição e Justiça. Ocorre que na mesma CCJ está parado o PLS 253, apresentado porCristovam Buarque (DF) em 2006 – a proposta só tramitou na CCJ, e a passos lentos, por sete anos.

Resguardadas as peculiaridades dos textos, os dois projetos tratam do mesmo assunto, em suma:corrupção é crime hediondo. Coincidentemente, a relatoria do projeto de Cristovam está com o senador Pedro Taques desde março, sem parecer. Embora aliados, Taques e Cristovam Buarque ainda não haviam conversado sobre o assunto até ontem à noite. Taques, que ontem estava fora de Brasília, disse que não se lembrava do texto do projeto de Cristovam, sob sua relatoria na CCJ. E emendou: "Mas vou pesquisar". Procurado pela coluna, Cristovam não quis polêmica. "Tenho fortes laços com Taques". Porém, entre os corpos técnicos legislativos houve um mal-estar.

Fanatismo

O fanatismo aparece em diversas áreas, sendo mais forte nas religiões. Também podemos ver muito fanatismo na política, em torcidas de futebol e até em gêneros musicais.

"O fanatismo é a cegueira opcional, é a auto-prisão, a incapacidade de olhar para os próprias ideias e perceber que são relativas, que são transitórias, que seguimos aprendendo e evoluindo infinitamente, transcendendo e incluindo o que aprendemos em épocas anteriores". (Mario Fialho)

Andam junto com o fanatismo: a adoração aos líderes e a idealização de pessoas, ignorando totalmente seus aspectos negativos. A perda de visão crítica e do bom senso é unânime entre os acometidos pelo comportamento. Obviamente, a pessoa não percebe que, pouco a pouco, não formula frases próprias, mas sim - apenas repete frases prontas que foram suplantadas, voluntariamente ou por terceiros, em sua mente.

O fanático esqueceu que é livre e, assim, prefere estar acorrentado às suas ilusões.

O fanatismo é o estado psicológico de fervor excessivo, irracional e persistente por qualquer coisa ou tema. É extremamente frequente em paranoides  cuja apaixonada adesão a uma causa pode estar próxima do delírio.

Veja, não é como gostar de colecionar selos ou acumular conhecimentos em determinada área. O doente fanático geralmente vê o mundo de uma forma maniqueísta, ou seja, "eu sou bom e tudo mais é mau".

Perigos do fanatismo agudo: agressividade (que pode evoluir à violência); preconceitos desenfreados; ignorar informações; excessiva credulidade em um determinado sistema; ódio exacerbado; sistema subjetivo de valores;individualismo. Muitas vezes, o fanático isola-se de sua família e amigos, porque se convence que só há um caminho ou jeito para viver. Outras vezes, ele é que é isolado de seu meio - porque ninguém conseguiu conviver com "o mala", "o pentelho" ou "o bitolado", como é tido por quem não compreende seu real problema: a necessidade (que todos temos) de sermos aceitos e reconhecidos por um grupo.

2 comentários em “O Fanatismo e o Fanático”

  • 30 de abril de 2013 18:08
    Aurélio Costa Disse:
    Tudo acima é verdade.

    O fanatismo é um distúrbio psicológico, porque se trata de sentimentos e emoções, normalmente relacionadas à aceitação ou reconhecimento. O fanatismo pode ser coletivo ou individual.

    A psicologia argumenta haver cura para o distúrbio, um dos argumentos é o tratamento através do humor, no sentido da diversão. A falta de humor, diversão ou divertimento é quase unânime entre os fanáticos. Outro aspecto é tentar separar o fanático do grupo, pois vezes o fanatismo coletivo é contagioso, agrupando pessoas com o mesmo idealismo fanático.

    Sinceramente o fanatismo coletivo é sem a menor sombra de dúvidas, o mais preocupante. Além da falta de humor, outras características são quase imutáveis; agressividade, raiva, intolerância, radicalismo, preconceito e muitas vezes violência por vias de fato.

    Entretanto o assunto é interessante no aspecto deísta. Começo com uma pergunta; poderia um deísta ser fanático? Poderia! Fanatismo é um distúrbio; lembra? Só que não convém, pelo simples fato de nós deístas estamos pregados à razão e o fanático é desprovido do discernimento, então seria incoerente, mas não impossível.

    Deísmo é uma filosofia, não uma religião e sendo filosofia cabem ao deísta atitudes filosóficas dentro da essência deísta, como sempre falo, não basta apenas se dizer deísta, tem que compreender o que seja ser deísta. O fanatismo não cabe nos argumentos deístas por alguns fatores e um deles é o discernimento. A filosofia deísta só ira crescer se for difundida naturalmente, o deísmo ao contrário que se imagina, vem crescendo, a passos lentos é verdade, mas hoje somos mais numerosos que nos séculos XVI e XVII. Vou lhes dar um exemplo, outro dia meu primo que é mais que um irmão, comprou um adesivo pro carro “Deus é Fiel” e disse que iria me dar um de presente, eu respondi que não necessitava, (ele sabe que sou deísta, não sabe o que seja deísmo, embora eu já tenha explicado uma centena de vezes), então antes dele questionar, argumentei; “Deus é fiel, fiel a sua obra e eu faço parte dela, então não necessito da afirmação, eu simplesmente conheço sua fidelidade.”, quando não, outro dia, o adesivo havia sumido, entre um sorriso fino, me silenciei.

    O deísmo é sutil o fanático não.
    delete

quinta-feira, 27 de junho de 2013

domingo, 23 de junho de 2013

Jornal dos EUA adverte que discurso de Dilma é mau sinal no combate à inflação



FotoJORNAL DIZ QUE PACTO DE DILMA SERÁ RUIM PARA ECONOMIA
Um dos mais importantes jornais de economia do mundo, Wall Street Journal considerou que o pronunciamento da presidenta Dilma Rousseff, sexta-feira, seguiu em direção oposta ao que pregam os economistas para conter o aumento da inflação e os déficits do País. De acordo com o jornal, as promessas de um novo esforço nacional para melhorar o transporte público e os serviços de saúde servirão apenas como tentativa de apaziguar os ânimos, mas não será possível atender às duas expectativas, da população e da economia. “Dilma Rousseff, ex-guerrilheira marxista e primeira mulher presidente do Brasil, procurou simpatizar com os manifestantes”, explicou o jornal.


quinta-feira, 20 de junho de 2013

Fazendeiro, esposa e funcionário são vitimas de sequestro no Nortão


Criminoso Baleado / Foto arquivo
O fazendeiro César Sabo, sua esposa e seu funcionário Márcio Ghisi, foram surpreendidos no começo da noite desta quarta-feira (19), por três elementos que invadiram sua residência no centro da cidade de Cláudia. Os dois homens foram amarrados e colocados em uma caminhonete Toyota Hilux, que pertence a uma das vitimas, e seguiram sentido à Sinop. A esposa da vitima que foi deixada na casa, comunicou a Policia Militar, que em uma ação rápida comunicou a PM de Sinop, que formou uma barreira na MT 423.

Na fuga, próximo à Sinop, os criminosos furaram os dois bloqueios feito pela PM, e foram perseguidos até as proximidades do Camping Club na BR 163, onde se renderam. Houve troca de tiros e um dos criminosos foi baleado na perna e encaminhado ao Hospital Regional, os outros dois, segundo informações, são menores e foram encaminhados pela PM a delegacia regional. As vitimas acabaram sendo liberadas apenas com arranhões.

O criminoso baleado na perna conhecido como Antônio Fabiano é morador de Cláudia e tem várias passagens pela policia, outros dois são de Sinop.

Vitimas do sequestro
Caminhonete com marcas de tiro
Fonte: Nortão Diário com assessoria

quarta-feira, 19 de junho de 2013

Leia na na integra o artigo.http://www.sonoticias.com.br/artigos/13/178710/primavera-brasileira/

ALEXANDRE GARCIA

 
Primavera Brasileira
Ainda está difícil de antecipar o que pode mudar no Brasil por essas manifestações nas capitais brasileiras, que se estenderam além-mar: Nova Iorque, Dublin, Berlim... Vi uma faixa que dizia: População passiva = corrupção ativa. Seria um início de um movimento anti-passividade? Outras faixas são contra o preço das passagens de ônibus. Copa das Confederações e ônibus estariam disparando o gatilho de algo que está preso na garganta dos brasileiros mais inquietos e menos passivos? No exterior, as manifestações ousaram sugerir que é a primavera brasileira, como um sinal de despertar, desabrochar, um florescimento. Será assim ou é apenas mais um movimento cíclico que logo vai passar, quando passar a oportunidade da Copa, neste país ciclotímico?

A presidente foi vaiada três vezes. O microfone de som ambiente só ficou ligado na tribunal oficial, registrando os aplausos de primeiro plano. Só quem esteve no estádio pôde sentir o tremor da vaia de quase 70 mil pessoas.
 O que me chamou a Atenção   foi esta a pArte do  texto do Jornalista ALEXANDRE GARDCIA 

 A Polícia Civil de Brasília, uma das melhores do país, apurou que houve pagamento para os manifestantes do Movimento Sem Teto, que queimaram pneus interrompendo o Eixo Monumental e derretendo o asfalto na sexta-feira. E apontou como organizadores três assessores da Presidência da República e um da Procuradoria Geral da República. Depois o governo de Brasília voltou atrás e só vai indiciar um - o que se demitiu semanas antes. Os outros, disse o Secretário de Segurança, só encorajaram a manifestação ilegal. Que estranho!

Nortão: MST libera tráfego na BR-163 e tranca novamente nesta 5ª


Fonte: Só Notícias/Bianca C. Zancanaro

Integrantes do Movimento Sem Terra (MST) desbloquearam, por volta das 18h, a BR-163, a cerca de 50 quilômetros de Sinop, sentido Itaúba. Nesta quinta-feira pela manhã o bloqueio será retomado. Um dos coordenadores no movimento, Marciano da Silva, disse que o Incra mandou uma carta dizendo que vai atender os pedidos, mas não estabeleceu prazos e por isso a interrupção no tráfego vai ser mantida.
Para fugir do bloqueio alguns motoristas usaram uma rota alternativa que passa por estradas vicinais no município de Cláudia que dá acesso a BR-163, porém, o trajeto pode aumentar cerca de 60 quilômetros.

Conforme Só Notícias já informou, o MST protesta contra possível despejo de 200 famílias do assentamento 12 de Outubro, devido a construção da barragem da Usina Hidrelétrica de Sinop, no rio Teles Pires, além da regularização de 7 assentamentos. Ontem, começou por volta das 7h30. Houve intervalo de duas horas e centenas de caminhões, carretas, carros, ônibus e motos passaram nos dois sentidos. Das 14h as 18h, a rodovia que liga o Nortão a Cuiabá voltou a ser bloqueada.

O bloqueio tem causado transtornos para centenas de pessoas que dependem da rodovia para seguir de Sinop a Itaúba, Colíder, Alta Floresta, Guarantã e demais cidades, bem como os que pretendem se dirigir a Cuiabá. Empresas tiveram atrasos nos transportes de combustível, madeira, produtos alimentícios e muitos outros. As viagens de ônibus também atrasaram.

Felipão nega reflexo de protestos, mas relata até árbitro emocionado


Felipão relatou emoção do árbitro e amigo Howard Webb Foto: Ricardo Matsukawa / Terra
Felipão relatou emoção do árbitro e amigo Howard Webb
Foto: Ricardo Matsukawa / Terra

Mais protestos e repressão policial nos arredores da Arena Castelão antes do jogo. Já com as equipes perfiladas no gramado, o Hino Nacional teve jogadores abraçados e o público a cantar em plenos pulmões até quando o serviço de som já havia parado. Essa atmosfera e em especial os protestos, segundo Luiz Felipe Scolari, tiveram pouca influência no desempenho da Seleção Brasileira em vitória por 3 a 0 sobre oMéxico nesta quarta-feira. Mas comoveram até o árbitro em Fortaleza.
"Fui cumprimentar o (Howard) Webb agora no vestiário e (...) sempre tivemos um excelente relacionamento. Ele me disse que na vida dele nunca tinha visto algo igual. A música parar e o estádio continuar ainda com a voz mais elevada que antes. Ele disse, 'olha, Felipe, fiquei emocionado'. Partindo de um inglês, veja o que temos que valorizar", declarou.
3D: Neymar chuta de primeira e faz golaço contra o MéxicoClique no link para iniciar o vídeo
3D: Neymar chuta de primeira e faz golaço contra o México
Felipão também foi perguntado se todo o contexto da partida influenciou na motivação do grupo, e preferiu minimizar. "Foi falado que eles têm liberdade de opinião, que cada um emite seu parecer com responsabilidade. Temos que pensar que estamos para trabalhar em um jogo de futebol e fazer com que possa ser a alegria das pessoas. (...) Não teve influência nem positiva e nem negativa. Conversamos isso, cada um passou seu pensamento".
O treinador, que citou a necessidade de se cantar o Hino Nacional com entusiasmo ao longo dos últimos dias, viu reflexo desse ambiente no Castelão contra os mexicanos. "Temos que dizer obrigado ao povo de Fortaleza. Nos dias de hoje, receber esse carinho e dessa forma, assustou um pouco o México. É assim que tem que ser".

Cresce avaliação negativa do governo Dilma, revela pesquisa


Alta nos preços é a principal causa

Stuckert Filho/Presidência da República
Clique para ampliar 
Lado econômico influencia na percepção do governo
DA CNI
A avaliação do governo Dilma Rousseff caiu para 55%, informa a segunda pesquisa CNI-Ibope do ano, apresentada nesta quarta-feira (19), pela Confederação Nacional da Indústria (CNI).

Na pesquisa anterior, divulgada em março, o percentual da população que considerava o governo Dilma como ótimo ou bom foi de 63%. O percentual que vê o governo ruim ou péssimo subiu de 7%, em março, para 13%, o maior desde o início do governo.

O gerente-executivo de Pesquisa e Competitividade da CNI, Renato da Fonseca, atribuiu a queda na avaliação à alta dos preços. A causa está visível, segundo ele, na aprovação das nove áreas de atuação do governo feita pela pesquisa CNI/Ibope. A desaprovação das políticas e ações de combate à inflação, uma das nove áreas avaliadas, subiu dez pontos percentuais, de 47%, em março, para 57%.

"O lado econômico influencia significativamente a percepção do governo. Apesar do mercado de trabalho continuar aquecido e das medidas de desoneração da cesta básica e de redução da conta de luz, a população sente a inflação no dia a dia", explicou Fonseca.

Regiões e renda

A pesquisa informa que o recuo de oito pontos percentuais entre os que consideram o governo ótimo ou bom foi maior no Sudeste - menos 11 pontos percentuais - e entre a população de renda familiar mais elevada (acima de 10 salários-mínimos), faixa em que a queda foi de 21 pontos percentuais.

Caíram também a aprovação do modo de governar da presidente Dilma Rousseff - de 79%, em março, para 71% - e a expectativa sobre o restante do governo, de 65% de ótimo ou bom para 55%. Fonseca pontuou que na aprovação do modo de governar não houve mudanças na região Nordeste e na população com renda até um salário mínimo, com recuo de um ponto percentual em ambas, dentro da margem de erro da pesquisa, de dois pontos percentuais.

O gerente-executivo de Pesquisa e Competitividade da CNI informou que a pesquisa CNI-Ibope, por ter sido realizada entre os dias 8 e 11 deste mês, não alcançou os movimentos de protestos em várias cidades, o que foi positivo do ponto de vista estatístico, pois não "contaminou" as razões da queda de popularidade do governo. A pesquisa CNI-Ibope de Avaliação do Governo foi realizada pelo Ibope Inteligência com 2.002 entrevistas em 143 municípios. A margem de erro é de dois pontos percentuais

Sinop: prefeito lança 6ª conjunto habitacional com 1.400 apartamentos


Fonte: Só Notícias (Só Notícias/Jessica Batista/arquivo)

Foto
O lançamento oficial dos 1.440 apartamentos do Residencial Ernandy Maurício Baracat (Nico Baracat) será nesta sexta-feira, às 10h, na MT-140 (rodovia de acesso a Santa Carmem). O prefeito Juarez Costa confirmou que o sistema de habitação horizontal no município será prioneiro com a implantação de prédios residenciais. “Serão mais de 1,4 mil novos imóveis a disposição das famílias que buscam realizar o sonho da casa própria”, informou.

Juarez assinou convênio para construir os apartamentos com o superintendente de uma instituição bancária em Mato Grosso, Carlos Roberto Pereira, no dia 24 passada, durante Feira de Negócios da Habitação e Construção de Mato Grosso (Edificar 2013), em Cuiabá. O processo para a execução dos apartamentos se deu com agilidade.
Inicialmente serão construídos 1.440 apartamentos, mas o projeto contempla 3.440 unidades já com as áreas destinadas à construção de creche e Unidade Básica de Saúde reservadas. “O diferencial desse projeto é que já constam as áreas para creche e UBS com todas as condições de infra estrutura necessárias”, destaca o prefeito. Deve seguir a mesma linha dos residenciais já implantados no município em que o valor do imóvel fica em torno de R$ 61 mil, com parcelas de até 5% em relação ao valor da renda do beneficiado com prestações que variam entre R$ 25 e R$ 80,00 para linhas de imóveis do Minha Casa, Minha Vida, Faixa 1.
O secretário de Governo, Silvano Amaral, articulou a aprovação do projeto para viabilizar o novo conjunto habitacional.

Sinop: sequestrador é baleado 3 são presos e vítimas liberadas


Fonte: Só Notícias/Bianca C. Zancanaro e Weverton Correa (colaborou: Nayara Anderle)

Policiais militares prenderam, agora há pouco, três bandidos que sequestraram um fazendeiro e seu funcionário em Cláudia (90 km de Sinop). A prisão ocorreu na BR-163, próximo ao Camping Clube, em Sinop. Eles estavam em uma Toyota Hilux, branca, que pertence a vítima. Houve troca de tiros e um dos bandidos ficou ferido. Ele foi encaminhado ao Hospital Regional. Seu estado de saúde não foi confirmado. As vítimas não se feriram.
A Polícia Militar em Cláudia informou que um grupo de bandidos entrou na residência do fazendeiro, na região central da cidade, rendeu ele, a esposa e o funcionário. Os dois homens foram amarrados e colocados na caminhonete e seguiram sentido Sinop. A mulher foi deixada na casa e acionou a polícia.
A PM de Sinop entrou em ação e fez uma barreira na MT-423 (rodovia que liga os dois municípios). Os bandidos conseguiram furar o bloqueio e foram perseguidos. Na BR-163, próximo ao Camping Clube, houve troca de tiros e um dos criminosos foi baleado. Outros se renderam, foram presos e as vítimas acabaram sendo liberadas.
A polícia ainda não informou outros detalhes do crime.

Lucas: filha de professora de 3 anos é esquecida em carro e morre


Fonte: Só Notícias/Alex Fama e Altair Anderli, de Lucas do Rio Verde

R.V.D.M, 3 anos, morreu, esta tarde, em Lucas do Rio Verde. O Corpo de Bombeiros informou que ela foi esquecida em um veículo, trancado, no estacionamento de uma escola no bairro Menino de Deus. Ela teria ficado dentro do automóvel durante a tarde toda. O colégio confirmou que a menina é filha de uma professora da instituição. As aulas foram suspensas até segunda-feira (24). O diretor da unidade, José Kolling, disse que o acontecido foi "uma fatalidade".

As primeiras informações apontam que ela estava sendo levada para uma escola, juntamente com outras duas crianças, por uma mulher que não seria a mãe delas, apenas auxiliava as famílias dando carona. A mãe teria pedido para que a mulher levasse a menina a escola, pois chegaria mais tarde. Como não era costume e a criança estaria dormindo a teria esquecido e trancado o veículo. A possível causa da morte ainda é analisada, mas ela pode ter morrido asfixiada ou devido o forte calor no carro.

A Perícia Técnica de Sinop analisou a cena, esta tarde, retirou o corpo que foi encaminhado a funerária. O horário e local de velório ainda não foram confirmados. 

A delegacia municipal de Polícia Civil prosseguirá com as investigações.

Sinop: secretário diz que pais devem decidir reposição de aulas


Fonte: Só Notícias/Thais Festa (foto: Só Notícias/Cleverton Neves)

Foto
A reposição das aulas, referente ao período de greve na rede municipal, deve ficar a critério dos pais de alunos. A confirmação foi feita, esta tarde, pelo secretário municipal de Educação, Hedvaldo Costa. "Quem vai decidir sobre a reposição são os pais. Eles vão debater junto com a direção das escolas como vão querer", disse, em entrevista coletiva.

A partir de amanhã, os diretores devem convocar os pais para uma nova reunião, que deverá definir o período de aulas. "Se for preciso vamos rasgar a normativa divulgada na semana passada. Somos democráticos, a vontade do pai do aluno vai prevalecer", completou.

De acordo com o secretário, uma comissão de pais solicitou, esta manhã, que a reposição seja feita até dezembro, "mesmo que seja durante o mês de julho, feriados e sábados, mas que não seja feita em janeiro. Alguns argumentaram que se isso acontecer vão deixar os filhos reprovarem". Caso fique estabelecido dessa maneira o ano letivo deve encerrar no dia 20 de dezembro.

Ao todo serão repostos 29 dias úteis para alguns alunos. Como algumas escolas voltaram a trabalhar antes do término da paralisação, as unidades devem repor oito dias. Em outros casos apenas três. No total foram 42 dias de greve, contando sábados, domingos e feriados.

A normativa apresentada, conforme Só Notícias já informou, sugeria que os profissionais da Educação trabalhassem durante feriados e recesso escolar. Cada unidade deveria analisar o "cronograma" com a comunidade escolar (pais e conselhos) para verificar a viabilidade e fazer as adequações necessárias.

O documento também sugeria que em julho poderia haver cinco dias de férias, de 22 a 26. Em dezembro dez dias, de 22 a 31, e em janeiro dois dias (2 e 3). O calendário escolar se estenderia até o dia 30 de janeiro de 2014.

Sinop tem 13 mil alunos e pelo menos oito mil ficaram sem aulas.

Autorização para 'cura gay


esFabiano CostaDo G1, em Brasília
2947 comentários
Sessão da Comissão de Direitos Humanos que aprovou projeto da "cura gay", na Câmara dos Deputados (Foto: Alexandra Martins/Ag. Câmara)Sessão da Comissão de Direitos Humanos que aprovou projeto da "cura gay", na Câmara dos Deputados (Foto: Alexandra Martins/Ag. Câmara)
A Comissão de Direitos Humanos da Câmara aprovou nesta terça-feira (18) o projeto de lei que determina o fim da proibição, pelo Conselho Federal de Psicologia, de tratamentos que se propõem a reverter a homossexualidade. A sessão que aprovou a proposta foi presidida pelo deputado Marco Feliciano (PSC-SP), que conseguiu colocá-la em votação após várias semanas de adiamento por causa de protestos e manobras parlamentares contra o projeto.
De autoria do deputado João Campos (PSDB-GO), a proposta pede a extinção de dois artigos de uma resolução de 1999 do conselho. Um deles impede a atuação dos profissionais da psicologia para tratar homossexuais. O outro proíbe qualquer ação coercitiva em favor de orientações não solicitadas pelo paciente e determina que psicólogos não se pronunciem publicamente de modo a reforçar preconceitos em relação a homossexuais.
Na prática, se esses artigos forem retirados da resolução, os profissionais da psicologia estariam liberados para atuar em busca da suposta cura gay.
Antes de virar lei, o projeto ainda terá de ser analisado pelas comissões de Seguridade Social e Família e de Constituição e Justiça até chegar ao plenário da Câmara. Se aprovada pelos deputados federais, a proposta também terá de ser submetida à análise do Senado. Somente então a matéria seguirá para sanção ou veto da Presidência da República.
Em seu parecer em defesa da proposta, o relator, deputado Anderson Ferreira (PR-PE), apontou que o projeto “constitui uma defesa da liberdade de exercício da profissão e da liberdade individual de escolher um profissional para atender a questões que dizem respeito apenas a sua própria vida”.
Ao justificar o projeto, o autor do texto afirmou que o Conselho Federal de Psicologia, ao restringir o trabalho dos profissionais e o direito da pessoa de receber orientação profissional, “extrapolou o seu poder regulamentar e usurpou a competência do Legislativo”.
O texto foi aprovado por votação simbólica, sem contagem individual dos votos.
Manifestantes se posicionam contra projeto da cura gay na sessão da Comissão de Direitos Humanos que aprovou a proposta (Foto: Fabiano Costa/G1)Manifestantes se posicionam contra projeto da cura
gay na sessão da Comissão de Direitos Humanos
que aprovou a proposta (Foto: Fabiano Costa/G1)
Sessão
Em contraste com as primeiras sessões presididas por Marco Feliciano, marcadas por tumultos e protestos de dezenas de integrantes de movimentos LGBT e evangélicos, a sessão desta terça atraiu poucos manifestantes. No fundo do plenário, um rapaz e uma garota ergueram cartazes durante o encontro do colegiado protestando contra o projeto da cura gay.
Uma das cartolinas dizia “não há cura pra quem não está doente”. Já o outro manifesto ressaltava “o que precisa de cura é homofobia”.
A análise do projeto da cura gay só foi concluída na Comissão de Direitos Humanos na terceira tentativa de votar o assunto. Nas outras duas oportunidades em que o tema foi colocado em pauta por Feliciano manobras de opositores da proposta conseguiram adiar a apreciação.
Na semana passada, o deputado Simplício Araújo (PPS-MA) utilizou vários recursos previstos no regimento interno da Casa, como o uso de discursos e a verificação de quórum, para evitar a votação. Durante o esforço para impedir a análise da matéria, o deputado do PPS chegou discutir com Feliciano.
Nesta tarde, Simplício tentou, mais uma vez, adiar a apreciação do projeto. Ele fez diversas intervenções durante a sessão para impedir que a matéria fosse votada e propôs novo pedido de retirada de pauta. Porém, a solicitação foi rejeitada pela maioria dos integrantes da comissão, muitos deles ligados à bancada evangélica.
“É lamentável que essa Casa não esteja ouvindo o clamor que está bem aqui, batendo à nossa porta. Projetos como esse, que são inconstitucionais, só trazem perda de tempo. E foi o que a gente viu aqui: uma tremenda perda de tempo. É uma matéria que não vai passar na Comissão de Constituição e Justiça. Uma bancada que quer jogar apenas para o seu eleitorado”, avaliou Simplício, em entrevista ao final da votação.
A aprovação ocorreu um dia após uma manifestação em Brasília que levou milhares à porta do Congresso, para protestar, entre outras coisas, pela saída de Marco Feliciano do comando da Comissão de Direitos Humanos e Minorias. A multidão gritou por diversas vezes “Fora Feliciano”. O deputado é acusado de homofobia e racismo por declarações polêmicas dentro e fora do Congresso.
O relator do projeto da cura gay, deputado Anderson Ferreira (PR-PE) e o presidente da Comissão de Direitos Humanos, Marco Feliciano (PSC-SP), na sessão que aprovou a proposta (Foto: Alexandra Martins/Ag. Câmara)O relator do projeto da cura gay, deputado Anderson Ferreira (PR-PE) e o presidente da Comissão de Direitos Humanos, Marco Feliciano (PSC-SP), na sessão que aprovou a proposta (Foto: Alexandra Martins/Ag. Câmara)
Simplício tentou barrar a votação praticamente sozinho. Um dos poucos parlamentares que se posicionaram contra a proposta foi o deputado Arnaldo Jordy (PPS-PA), que questionou a constitucionalidade do texto. Para Jordy, não cabe ao Legislativo alterar decisões de órgãos de classe. De acordo com ele, a votação do projeto poderia não ter eficácia.
“Eu posso apresentar um requerimento revogando a lei da gravidade? Se é apenas para produzir efeito pirotécnico, tudo bem, vamos jogar aberto. Muitos de nós não temos tempo para discutir coisas que sejam ineficácia. Se não é da prerrogativa desta Casa revogar atos da OAB, do Conselho Nacional de Medicina e do Conselho Federal de Psicologia, então, estamos aqui brincando. Estamos aqui jogando para a plateia”, ironizou.
Durante seu esforço para inviabilizar a apreciação do texto, Simplício Araújo alertou a Câmara para “acordar” diante da onda de manifestações que tomou conta das ruas das principais capitais do país nesta segunda. O deputado também acusou os colegas da comissão de estarem em busco de “holofotes para ganhar votos”.
“Essa aqui [a votação do projeto da cura gay] é uma prova de que estamos longe de entender o que a sociedade quer nos ver discutindo dentro dessa Casa. A voz das ruas diz que esse projeto é a maior perda de tempo. Não existe tratamento para o que não é doença. O que temos de tratar é a cara de pau dos políticos”, criticou Simplicio, arrancando aplausos dos poucos manifestantes que foram protestar contra a matéria.
Mais tarde, no plenário principal da Câmara, Simplício anunciou que seu partido, o PPS, iria ingressar com um requerimento na Mesa Diretora para tentar anular a votação da proposta que modifica as regras do conselho de psicologia.
Após encerrar a sessão, Feliciano comentou sobre o projeto. Ele enfatizou que concorda em “gênero, número e grau” com o texto de João Campos.
“É o único Conselho Federal de Psicologia do mundo que tolhe o direito do profissional de poder atuar. É o único que assusta, que amedronta o profissional que ele não pode tratar de uma pessoa que busque ele quando está com uma angústia interior. No meu pensamento, tomara que seja aprovado”, defendeu Feliciano.

terça-feira, 18 de junho de 2013

Assustada, Dilma se aconselha com Lula


José Cruz/ABr
FotoDILMA DEIXOU A AGENDA DE LADO E FOI À SÃO PAULO ENCONTRAR O EX-PRESIDNETE
A presidenta Dilma Rousseff viajou para São Paulo tão logo foi concluída a solenidade de lançamento do novo marco regulatório de mineração, e está reunida com o ex-presidente Lula, sempre citado por ela como "doutor em massas". O Palácio do Planalto não admite nem sequer que Dilma cancelou sua agenda para a conversa com Lula, mas políticos aliados afirmam que a presidenta ficou muito preocupada, "assustada" até, segundo um senador, com as manifestaões que levaram cerca de 300 mil pessoas às ruas em todo o Brasil, nesta segunda-feira. O entusiasmo juvenil dos manifestantes e a aparente ausência de lideranças ou de comando foram aspectos que mais a impressionaram. É tema da reunião, também, a suspeita de que cinco assessores da Presidência da República, três deles subordinados ao ministro Gilberto Carvalho (secretaria-geral), estão envolvidos na organização do ato de protesto realizado sábado, em Brasília, nas imediações do Estádio Nacional Mané Garrincha, quando houve tentativa de invasão para tentar impedir o jogo de abertura da Copa das Confederações. Carvalho é o principal representante do ex-presidente Lula no governo Dilma.