terça-feira, 31 de agosto de 2010

Desmatamento da Amazônia é "o menor dos menores", diz ministra

O índice de desmatamento da Amazônia registrou redução de 42% em julho de 2010 comparado a junho deste ano, informou nesta terça-feira (31) o Ministério do Meio Ambiente. Este é o menor índice já registrado pelo sistema Deter do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). O levantamento é realizado desde maio de 2004 com dados de satélite.

A ministra Izabella Teixeira comemorou "o menor dos menores" valor do desmatamento da região.

No acumulado de 12 meses, a taxa sofreu redução de 48%, quando se compara o período de agosto de 2009 a julho de 2010 com agosto de 2008 a julho de 2009. O ministério ressaltou que o índice de nuvens registradas pelas imagens de satélite, que podem atrapalhar a leitura de dados, também aumentou, mas não o suficiente para mascarar os dados.

O Amazonas registrou um aumento de 8% no desmatamento de agosto de 2009 a julho de 2010, enquanto os demais estados da região, com exceção do Amapá, apresentaram queda no desmatamento.

Onze municípios amazonenses são responsáveis por 90% do desmatamento do estado. São eles Apuí, Lábrea, Manicoré, Novo Aripuanã, Canutama, Boca do Acre, Maués, Autazes, Careiro, HUmaitá e Pauini.

Nosso Blog é um sucesso,



24/08/2010 12:00 – 31/08/2010 11:00
Visualizações de página de hoje
87

Visualizações de página de ontem
141

Visualizações de página do mês passado
3.582

Histórico de todas as visualizações de página
6.511



Visualizações de página por país na ultima semana:


Brasil 828


Estados Unidos 21


Canadá 5


Portugal 5


Argentina 4


Angola 1


Áustria 1


China 1


Alemanha 1


Hong Kong 1

Equipe aripuanense leva 1° Lugar em festival de pesca de Castanheira



Fonte:Topnews

O município de Castanheira realizou neste mês a 8.ª edição do seu festival de pesca esportiva, nos dias 28 e 29 de agosto;no encontro das águas do Rio Vermelho com o Rio Juruena, , distante aproximadamente 65 km da cidade de Castanheira.

A equipe Águia Alarmes de Aripuanã, formada por três pessoas, Ronaldo Aguilar, sua filha Isabella de 8 aninhos e Ismael. A premiação do 1° Lugar foi 01 Motor 15 HP e 01 Barco de 5 metros com um peixe Jaú de 85 cm.

Segundo o Ronaldo, este ano está sendo muito bom, pois estou em busca da classificação para a etapa estadual e agora mais feliz ainda por ter vencido mais um festival de pesca, finalizou agradecendo a Deus pela sorte recebida e as todos que torceram por eles.

Para Isabella, que adora pescar, disse “sempre que posso acompanho meu pai, eu tive sorte, porque aprendi muito com ele e também pegue peixe”, toda sorridente com a conquista.

Foram premiadas as cinco primeiras equipes, da seguinte maneira:
1° Lugar: 1 Motor 15 HP e Barco de 5 metros.
2° Lugar: 1 Barco de 5 metros.
3° Lugar: 1 Carretinha de barco.
4° Lugar: 3 Molinetes, 3 Varas e 3 Coletes.
5° Lugar: 3 Coletes e 3 Barracas.

A organização do evento, através da Secretaria Municipal de Agricultura e Meio Ambiente, informou que o Festival foi um espetáculo, ressaltou o esforço da administração para promover atividades sociais, culturais e turísticas que colaboram para tornar o potencial do município mais conhecido não só em Mato Grosso, mas em todo Brasil.

Nasci outra vez", diz jovem que sobreviveu a ataque de onça, no Pantanal



fONTE :Terra em Belo Horizonte

O estudante João Vitor Brás, 16 anos, recebeu alta nesta semana do Hospital João XXIII, em Belo Horizonte. Ele ficou internado por quase um mês desde que foi atacado por uma onça às margens do Rio Paraguai, no dia 14 de julho, no Pantanal, em Mato Grosso. "Eu nasci outra vez", disse o jovem após sobreviver ao ataque.

Ainda em recuperação dos ferimentos, o jovem relembrou os momentos do ataque. Vitor foi arrastado pelo animal para a água e só foi salvo graças à agilidade de um guia de pesca e também do primo Gustavo Sette Câmara, que bateram na onça e rapidamente o tiraram da água.

"Eu lembro que a gente estava pescando e ouvimos alguns barulhos num barranco que estava a uns 3 m da gente. Eram como se fosse alguma coisa pisando nos galhos secos. O guia pediu para eu olhar o que era, mas não vimos nada", disse João. "A gente já estava indo embora. Eu estava com medo. Eu me virei e foi quando a onça me atacou. Senti ela pegando minhas costas. Depois disso só lembro a chegada no outro barco, dos primeiros socorros e da chegada ao hospital", afirmou ele.

O primo do adolescente disse que a onça provavelmente rondou o local onde eles estavam a noite toda. "Estávamos pescando e escutamos alguns barulhos, e ele (João) olhou o mato para ver se achava alguma coisa. Ele iluminou com uma lanterna e não vimos nada. Quando ele virou, estava com medo, a gente já ia sair, ela pulou nas costas dele, a reação que eu tive foi pular para longe dela", afirmou Gustavo.

Para expulsar o felino, o guia que acompanhava o grupo pegou uma barra de ferro que estava no barco e rapidamente o golpeou. A onça, provavelmente ferida, voltou para o barranco. "Quando a gente viu, os dois já estavam na água e, por sorte, quando emergiu, estava na frente do guia, que acertou a onça", disse o primo de João. "Eu olhei e não vi nada. Achei que não iria mais ver meu primo. A sorte é que a onça emergiu na frente do guia e ele a golpeou. Quando colocamos o João no barco, eu senti um alívio. Ele estava muito ferido", afirmou Gustavo.

João Vítor foi levado para o barco onde a família dele e um médico, que também estava na embarcação próxima, cuidaram dos ferimentos. "Depois disso a gente só teve sorte. O animal soltar o meu primo, o barco ser rápido, o socorro do médico que estava em uma chalana (embarcação) perto do que nossa família estava, o neurocirurgião que operou meu primo é muito bom. A boa estrutura do hospital da cidade, acho que isso tudo ajudou a salvar a vida do João", disse o primo.

O estudante foi submetido a uma cirurgia na cabeça no Hospital São Luis, na cidade de Cáceres, em Mato Grosso. "Depois que cheguei ao hospital, eu não lembro mais nada por causa da anestesia. Mas me assustei quando me falaram que tiveram que tirar um pedaço do meu crânio. Eu nasci outra vez. Por sorte a onça não tinha apoio para me levar até a margem", afirmou João.

Mesmo depois do que aconteceu, o estudante disse que pretende voltar ao Pantanal. "Eu só faço um alerta. As pessoas têm que tomar cuidado e não pescar muito perto das margens. E eu não tenho medo de voltar ao Pantanal. Só vou ficar mais longe da margem da próxima vez", disse João

Veja as oponiões de leitores do site 24 horas newsstrong>
Ney Franco -
Conversa fiada dessa turma, eles foram perturbar a onça ao vela atravessando o rio. Aqui em Cáceres todos sabem da história real e que é comum esse tipo de perturbação que as onças sofrem, assim como o costume de alimenta-las na beira do rio paraguai. Vai contar essa mentira lá no faustão , onde até os especialistas estavam duvidando. Quem sabe a gora esses guias falsos de turismo tomem mais cuidado ao querer ganhar dinheiro com fotos e filmagem das onças.

Aqui na Amazônia que é comum a existência de onça as noticias de ataque são muito raras. Alguma esta muito errada no pantanal.

Silval na liderança em Cuiaba

O Instituto Voice Pesquisas foi o primeiro a indicar a liderança do governador Silval Barbosa (PMDB) em Cuiabá, na corrida pelo Governo do Estado. Há um mês, o Voice indicou vantagem de Silval de 4,2% sobre o segundo colocado, Mauro Mendes (PSB).

A pesquisa Vox Populi/TV Cidade Verde, divulgada ontem, confirmou o resultado aferido pelo Voice Pesquisas. Pelo Vox, Silval tem 32%, Mendes 26% e Wilson Santos (PSDB) 19%. A única diferença é que Silval ampliou a vantagem sobre Mendes para 6%.

Riva tem parecer favorável

Fonte A Gazeta

A vice-procuradora-geral eleitoral, Sandra Cureau, deu parecer favorável ao registro de candidatura do ex-deputado estadual José Riva (PP). A manifestação vai em sentido oposto à posição do procurador regional eleitoral, Thiago Lemos de Andrade, que solicitou a impugnação ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) com base na lei da Ficha Limpa, que impede a candidatura dos condenados por órgãos colegiados tornando-os automaticamente inelegíveis pelos próximos 8 anos.

O entendimento de que Riva deveria ter a candidatura barrada se deu após a perda do mandato em decisão unânime do Tribunal Regional Eleitoral (TRE/MT) por compra de votos e formação de caixa 2 na eleição de 2006, punição que ocorreu no dia 27 de julho.

O procurador Thiago Lemos sustentou que "as condições de elegibilidade e as causas de inelegibilidade devem ser aferidas no momento da formalização do pedido de registro da candidatura, ressalvadas que condenações futuras poderão levar a inelegibilidade, uma vez que, a Ficha Limpa aponta punição "aos que forem condenados em órgãos colegiados".

Na avaliação da vice-procuradora Sandra Cureau, a impugnação da candidatura deveria ser aplicada no momento da apreciação do pedido de registro de candidatura feito pelo TRE, o que não ocorreu. "Considerando que o acórdão do TRE-MT que condenou José Riva pela prática de compra de votos e gastos ilícitos de recursos de campanha foi publicado apenas em 29 de julho de 2010, ou seja, após o pedido de registro e o ajuizamento do pedido de impugnação, não é possível reconhecer a causa de inelegibilidade", diz trecho do parecer. O documento será encaminhado a relatora do processo, ministra Carmen Lucia, que após emitir posição vai conduzi-la ao plenário para votação, mas, não há data definida para apreciação. O TSE já ampliou o número de sessões para julgar mais de mil processos referentes a eleição de outubro. Mesmo sem ter a confirmação de que poderia ser candidato nesta eleição, Riva já tocava a campanha naturalmente com a pretensão de ultrapassar 100 mil votos neste pleito.

segunda-feira, 30 de agosto de 2010

Consultor orienta madeireiros do Nortão a priorizarem certificações


Fonte: http://www.sonoticias.com.br

A Copa do Mundo de 2014 será a grande oportunidade do Brasil e do setor de base florestal principalmente de Mato Grosso reverterem a imagem de ser o vilão da floresta e também será uma ferramenta de negócios, um exemplo é a certificação ambiental, onde o empresário recebe incentivos por serviços ambientais como a preservação dos biomas, da biodiversidade e do sequestro de carbono. De acordo com o pesquisador da Universidade Federal do Paraná e consultor na área de Mudanças Climáticas e Serviços Ambientais, Eder Zanetti, o Estado tem três oportunidades de negócios com a participação de Cuiabá na copa.

Ele explicou, em palestra na feira Promadeira, que terminou sábado em Sinop, que a primeira é melhorar a imagem do setor florestal a nível mundial, com a certificação florestal, de carbono, de água, de biodiversidade e de beleza cênica e ter uma postura diferente de outros países. "Com a certificação de carbono, as empresas são estimuladas a manterem programas de energia renováveis e reflorestamentos, garantindo a sustentabilidade econômica do empreendimento. Já a certificação florestal cria critérios de sustentabilidade ambiental para as florestas já plantadas", expôs. E com a certificação de água ou hídrica, as empresas gerenciam os impactos que suas atividades tem na manutenção da qualidade e da quantidade desse líquido, que encontra-se à disposição dos ecossistemas e da sociedade.

A segunda oportunidade é já começar a transformar a "realidade do setor florestal de Mato Grosso com a criação de uma secretaria Estadual de Florestas que una e fortaleça os empresários para promoverem o setor. A terceira é aproveitar as características rústicas dos biomas amazônico, pantanal e o cerrado que existem no Estado e trabalhar no desenvolvimento de sistemas de pagamento por serviços ambientais. Trabalhar o sistema de remuneração por pagamento de serviço ambiental é incentivar o cultivo de árvores e florestas e também uma forma de diminuir o impacto ambiental e a mudança climática, além do cultivo da biodiversidade para melhorar a qualidade da água. Esse é o momento para que o setor utilize o pagamento para melhorar a cadeia produtiva e alcançar o reconhecimento social", disse Zanatti, ao Só Notícias.

Segundo o consultor, já existe em Mato Grosso uma unidade de bens de serviços ambientais da Federação da Agricultura e também das Indústrias que é responsável por representar os federados. Tem um banco de negócios de serviços ambientais que são prestados pelas indústrias ou pelos ecossistemas para a sociedade. "Um exemplo desse serviço ambiental é quando uma empresas tem um equipamento que polui menos o ar ou o ecossistema e recebe investimento em pesquisa e desenvolvimento para que a empresa seja privilegiada pelos consumidores. O pagamento de serviço seria uma taxa diferencial para que a indústria produza produtos mais eficientes e acessíveis a sociedade.

Em Cuiabá, o estádio Verdão, que será a arena para a Copa está sendo construída com mais madeira do que concreto e com isso emite cerca de 700 mil toneladas de CO2 (carbono), mas para isso a Agecopa (Agência Estadual de Execução dos Projetos da Copa do Mundo Pantanal) e o Instituto Ação Verde farão as neutralizações dessa emissão, com o replantio de árvores em áreas de preservação permanente na capital.

domingo, 29 de agosto de 2010

Aripuanã: Usina de Dadarnelos vai produzir 300 MW apartir do início de 2011




fonte:topnews

A obra em construção da Usina Hidrelétrica (UHE) Dadarnelos, pela empresa Energética Pedra das Águas, no município de Aripuanã (1002 km a noreste de Cuiabá), deve entrar em operação no início de 2011, segundo o presidente da Energética Águas da Pedra, José Piccolli Neto. A informação foi passada nesta sexta-feira (27.08) ao recepcionar o secretário-chefe da Casa Civil, Eder Moraes, que visitou o canteiro de obra in loco e foi informado do modelo adotado, com vistas a não agressão ao meio ambiente.
José Piccolli Neto disse que "apesar de ser um investimento privado, a Dadarnelos sempre contou com o apoio e a liderança do governo mato-grossense" e que a visita do secretário, em nome do governo de Mato Grosso, "é importante para manter o bom relacionamento entre o estado e a empresa".

"Estamos trazendo progresso para o estado, para o Brasil, emprego e recursos, já que vai gerar divisas para o estado, via pagamento de impostos. É uma confraternização do investimento privado com a administração pública".
O secretário Eder Moraes disse que a construção da hidrelétrica Dadarnelos "é o caminho que o Governo do Estado está mostrando, rumo ao desenvolvimento sustentado. Somos hoje exportadores de energia. Energia que é insumo e materia prima pra qualquer investimento, para a sobrevivência de qualquer grupo que deseja investir em Mato Grosso."

O secretário se mostrou bastante satisfeito com o andamento da obra - informado pelos técnicos que a usina vai estar pronta para entrar em operação no primeiro bimestre de 2011. Eder Moraes disse que "é gratificante ver um envestimento desta monta que vai gerar, em números absolutos, 300 megas de energia" ter um impacto ambiental bastante reduzido. A usina Dadarnelos está sendo construída no rio Aripuanã, e terá cinco turbinas, em sua capacidade máxima vai produzir 300 MW, superior a UEH de Manso.

Como Dadarnelos tem um aproveitamento do declive natural do rio, ao mesmo tempo que mantem as cachoeiras praticamente intactas, assim como as áreas de lazer, é considerado um exemplo. "É um case que está sendo levado, inclusive, para a ONU. É um modelo que o governo implementa no desenvolvimento das atividades econômicas, na exportação de energia, na geração de riquezas. É um modelo no qual temos a sustentabilidade presente", finalizou Eder Moraes.

sábado, 28 de agosto de 2010

MT Regional participa de reunião com indígenas para viabilizar cadeias produtivas em Aripuanã




Em busca de fortalecer as cadeias produtivas em prol da agricultura familiar em Mato Grosso, técnicos do MT Regional estiveram em Aripuanã (980 km de Cuiabá) com representantes de várias Secretarias do Governo do Estado numa reunião conduzida pelo superintendente de Assuntos Indígenas da Casa Civil, tenente-coronel Alessandro Mariano Rodrigues, para ouvir dos índios das etnias Cinta Larga e Araras, as cadeias produtivas a serem desenvolvidas na região.

Os indígenas solicitaram a implantação das cadeias produtivas do leite, piscicultura, castanha e fruticultura. Durante a reunião ficou definido que a Secretaria de Agricultura de Aripuanã, o MT Regional e a Empresa Mato-Grossense de Pesquisa Assistência e Extensão Rural (Empaer) vão até as aldeias selecionadas pelas etnias Cinta Larga e Araras para realizar a coleta de solo da área destinada à fruticultura. O Governo do Estado realizará a análise de solo para dar início ao trabalho de subsistência e comercialização dos produtos. O mesmo será feito com cada uma das cadeias produtivas escolhidas pelos índios.

A gerente da cadeia produtiva da Sociobiodiversidade, Sanny Costa Saggin, destacou que os índios já tem a castanha, ou seja, a matéria prima-principal, agora eles precisam desenvolver a cadeia produtiva. “Eles tiveram problemas de logística no transporte, armazenamento, entre outros e vão com o apoio do MT Regional para garantir a produção e comercialização do produto para geração de renda”.

Os técnicos do MT Regional que estiveram presentes na reunião foram: A gerente da cadeia produtiva da Sociobiodiversidade, Sanny Costa Saggin; o coordenador da cadeia produtiva de fruticultura, Rodrigo Furquim Rodrigues e o Assessor técnico, Ciro Siqueira Gonçalves Sobrinho.

Aripuanã em Mato Grosso inaugura novo hospital e PSF e Governo anuncia ajuda de R$ 600 mil até dezembro


Fonte :Secom-MT/foto topnews

Secretário da Casa Civil Eder Moraes, participa da entrega de obras de compensação da construção da Usina Hidroelétrica de Dardanelos
Aripuanã, MT – A Prefeitura Municipal de Aripuanã recebeu nesta sexta-feira (27.08) da empresa Energética Águas da Pedra o Balneario Oasis totalmente remodelado o novo prédio para instalação do Hospital Municipal de Aripuanã e inaugurou o Posto de Saúde da Família (PSF). A construção das duas unidades faz parte das ações do Programa de Saúde Pública – contido no projeto básico ambiental – pelo qual a empresa responsável pelo aproveitamento Hidrelétrico de Dardanelos se comprometeu a realizar.

O governo do Estado de Mato Grosso saudou a inauguração das duas unidades de saúde. O secretário-Chefe da Casa Civil, Eder Moraes, anunciou que o Governo do Estado, através da Secretaria Estadual de Saúde, vai emergencialmente entrar com a contra-partida de R$ 150 mil por mês até dezembro deste ano, totalizando R$ 600 mil, para que o Hospital de Aripuanã comece a funcionar em suas novas instalações o quanto antes.

As novas instalações do Hospital Municipal estão acima da expectativa da gestão pública municipal. O prefeito Carlos Roberto Torremoche disse que acredita na transformação da unidade de municipal para micro regional, pela sua estrutura e potencialidades para atender os demais municípios do polo regional de saúde.

A secretária municipal de Saúde de Aripuanã, Antonieta Varaschin, disse que o novo prédio é um sonho que se realiza. O hospital municipal atual está, desde 2005, em um prédio adaptado, enquanto e o novo hospital foi construído dentro das especificações do Ministério da Saúde.

Estiveram presentes no ato de entrega das unidades, o presidente da Energética Águas da Pedra, José Piccolli Neto, o secretário de Estado de Comunicação Social, Onofre Ribeiro, vereadores, funcionários do município e populares.

sexta-feira, 27 de agosto de 2010

Padroeiro da cerveja

Para os apreciadores de cerveja. Amanha sábado dia 28, é Dia de Santo Agostinho. Vem a ser o “Padroeiro dos cervejeiros”. Obviamente, não devem faltar mil e motivos para comemorar tão significativa data para alguns muitos.

Em Aripuanã, (devido ao calor) existe grande consumo "per capita" de "loiras", aqui comemoramos Santo Agostinho nos 365 dias do ano. Saúde .

Alienação parental agora é crime previsto em lei


Fonte: Agência Brasil


O presidente Luiz Inácio Lula da Silva sancionou ontem(26), com dois vetos, o Projeto de Lei da Alienação Parental. A lei considera alienação parental o ato de fazer campanha de desqualificação da conduta dos pais no exercício da paternidade ou maternidade; dificultar o exercício da autoridade parental, o contato de criança ou adolescente com o genitor; atrapalhar o exercício do direito regulamentado de convivência familiar; omitir deliberadamente a genitor informações pessoais relevantes sobre a criança ou adolescente, inclusive escolares, médicas e alterações de endereço.

Além disso, apresentar falsa denúncia contra o genitor, contra familiares ou contra avós, para dificultar a convivência deles com a criança ou adolescente; ou mudar o domicílio para local distante sem justificativa, visando dificultar a convivência da criança ou adolescente com o outro genitor, avós ou familiares também acarretará em punição.

De acordo com a Casa Civil, Lula vetou os Artigos 9 e 10 da lei. O primeiro, porque previa que os pais, extrajudicialmente, poderiam firmar acordo, o que é inconstitucional. Já o Artigo 10 previa prisão de seis meses a dois anos para o genitor que apresentar relato falso. Nesse caso, ainda segundo a Casa Civil, o veto ocorreu porque a prisão do pai poderia prejudicar a criança ou adolescente.

quinta-feira, 26 de agosto de 2010

Aripuanã: Energética Águas da Pedra realizou reunião com etnias Cinta Larga e Arara

fonte:topnews

A Energética Águas da Pedra realizou reunião com etnias indígenas Cinta Larga e Arara

A empresa Energética Águas da Pedra, responsável pela construção da Usina Hidrelétrica de Dardanelos, em parceria com a Casa Civil do Estado de Mato Grosso e a Superintendência Estadual de Assuntos Indígenas, promoveu uma reunião com as lideranças das etnias Cinta Larga e Arara e representantes de secretarias do Estado, nos dias 23 e 24 de agosto, para firmar os termos de compromisso específicos do Termo de Compromisso assinado no último dia 27 de julho para desocupação do canteiro de obras da usina pelos inígenas.

Participaram da reunião lideranças das etnias Cinta Larga e Arara; o Assessor Especial da Secretaria Estadual de Saúde, Coronel Luiz André de Lacerda; o Superintendente de Assuntos Indígenas da Casa Civil do Estado, Coronel Alessandro Mariano Rodrigues; o Secretário Estadual de Esporte e Lazer, Laércio Arruda; a Diretora do Escritório Regional de Saúde de Juína. Priscila Pedrotti; o engenheiro civil e fiscal de obras da Secretaria de Infra-Estrutura do Estado José Bendito Souza; a Gerente de Intercâmbio da Secretaria de Estado de Cultura, Cinthia de Miranda Mattos; e Coordenadora da Cadeia Produtiva da Sócio-Biodiversidade Sanny Costa Saggin; o Coordenador da Cadeia Produtiva da Fruticultura Rodrigo Furquin, o Coordenador da Cadeia Produtiva da Pscicultura Ciro Siqueira Gonçalves Sobrinho, ambos do MT Regional; e a Bióloga Especializada em Análise de Impacto Ambiental no Setor Elétrico da Secretaria Estadual de Meio Ambiente e Prefeitura Municipal de Aripuanã, Daphne Adriane Silva.

Durante a reunião, foram assinados diversos termos de compromissos entre as etnias e o órgão responsável em colocar em prática as devidas ações, sendo elas nas áreas de saúde, cultura, esporte e desenvolvimento sustentável. As reuniões foram divididas por etnias, no dia 23 com a etnia Cinta Larga e no dia 24 com a etnia Arara. Todos os termos assinados foram baseados nas solicitações feitas no Termo de Compromisso assinado para a desocupação da usina em julho.

Campanha obtém resultado significativo

TJ/MT
A campanha desencadeada pelo Poder Judiciário de Mato Grosso, por intermédio do juiz Anderson Candiotto, responsável pela Comarca de Marcelândia (710km a norte de Cuiabá), obteve resultados significativos. O município, recentemente atingido por um incêndio de grandes proporções, já recebeu donativos das comarcas de Sinop, Sorriso, Alta Floresta, Cláudia, Vera, Feliz Natal, Rosário Oeste, Colíder, Terra Nova do Norte, Peixoto de Azevedo, Matupá, Itaúba, Aripuanã e Paranaíta.

“É muito difícil mensurar a quantidade, mas até agora temos um barracão de cerca de 100 metros de cumprimento por 60 de largura, além de 10 salas de cinco por cinco metros, repleto de donativos. Ainda sim precisamos de mais doações. As famílias precisarão de ajuda pelo menos até o fim do ano”, assinalou o magistrado, responsável por dar início à campanha de solidariedade em prol dos munícipes de Marcelândia.

O incêndio, que destruiu mais de 100 casas e 13 indústrias madeireiras, teve início em 11 de agosto. Cerca de 120 famílias perderam todos os seus pertences. Logo no início da campanha, cinco toneladas de mantimentos já haviam sido arrecadadas, entre móveis, eletrodomésticos, madeira e fogões. A última doação recebida na comarca chegou da Comarca de Sinop. Um caminhão levou uma cama, seis fogões, aparelho de TV, além de roupas, leite e cestas básicas. Segundo o magistrado, a Comarca de Sorriso também enviará mais um caminhão com donativos.

Já a Comarca de Aripuanã doou 1.7 mil metros cúbicos de madeira apreendida. O juiz José Zuquim Nogueira, da Vara Especializada do Meio Ambiente da Comarca de Cuiabá, também se dispôs a doar madeira apreendida pelo Juvam. Esse material deverá ser utilizado na reconstrução de parte da estrutura queimada. Além disso, o Grupo de Ação Social do Poder Judiciário (Gasjud), em Cuiabá, continua angariando mantimentos, assim como as comarcas de Guiratinga e Lucas do Rio Verde, que também fizeram campanha de arrecadação.

O juiz Anderson Candiotto agradeceu a todos os magistrados e servidores envolvidos nessa mobilização. “Estamos tendo uma grande demonstração de humanismo e solidariedade. Essa contribuição é fundamental na vida das pessoas que foram atingidas pela catástrofe e demonstra, com veemência, que o Poder Judiciário de Mato Grosso nunca esteve alheio às mazelas de nosso povo”, destacou, ao lembrar que a campanha continua, pois as empresas atingidas pelo fogo não estão em atividade, o que dificulta a manutenção dos trabalhadores e de suas famílias. Ainda conforme o magistrado, a previsão é que as casas em construção para as famílias atingidas sejam entregues até dezembro.

quarta-feira, 25 de agosto de 2010

INSS envia 1,3 mil cartas para trabalhadores que já podem se aposentar

Redação 24 Horas News



Trabalhadores urbanos que completam as condições para se aposentar por idade em setembro devem receber nos próximos dias cartas do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social). A correspondência vai avisar ao cidadão que ele pode requerer o benefício a partir da data de seu aniversário.

Segundo o INSS, devem ser enviadas 1.373 cartas-aviso para os homens que completam 65 anos e mulheres que completam 60 a partir do dia 1º de setembro.

O comunicado contém um código de segurança que permite ao segurado confirmar a sua autenticidade, protegendo-o contra fraudes. A comprovação, em caso de dúvida, deve ser feita pela Central 135 ou no portal www.previdencia.gov.br.

Umidade abaixo de 20% em grande parte do país aumenta risco de queimadas

A umidade relativa do ar deve chegar a níveis abaixo de 20% nesta quarta-feira (25) no centro-oeste e em parte das regiões norte, sudeste e sul. De acordo com o Cptec (Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos), o tempo seco aumenta o risco de queimadas.

Hoje, o Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais) registrou 2.528 focos de incêndios em todo o país. Especialistas já calculam que o estrago provocado pelas queimadas este ano pode ser maior do que em 2007, quando foi registrado o maior número de incêndios dos últimos cinco anos.

De acordo com o Cptec, nesta quarta a temperatura pode chegar a 38ºC em cidades de Mato Grosso, Pará, Rondônia, Goiás e Tocantins.

Por causa da baixa umidade, a recomendação é evitar fazer atividades físicas ao sol e beber muito líquido.

Umidade abaixo de 20% em grande parte do país aumenta risco de queimadas

A umidade relativa do ar deve chegar a níveis abaixo de 20% nesta quarta-feira (25) no centro-oeste e em parte das regiões norte, sudeste e sul. De acordo com o Cptec (Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos), o tempo seco aumenta o risco de queimadas.

Hoje, o Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais) registrou 2.528 focos de incêndios em todo o país. Especialistas já calculam que o estrago provocado pelas queimadas este ano pode ser maior do que em 2007, quando foi registrado o maior número de incêndios dos últimos cinco anos.

De acordo com o Cptec, nesta quarta a temperatura pode chegar a 38ºC em cidades de Mato Grosso, Pará, Rondônia, Goiás e Tocantins.

Por causa da baixa umidade, a recomendação é evitar fazer atividades físicas ao sol e beber muito líquido.

Sem agenda com Dilma, Mendes vai ao aeroporto para recebê-la

Fonte RDNEWS
Após afirmar que teria o apoio da candidata à Presidência da República Dilma Roussef (PT)f, durante sua passagem por Cuiabá, o candidato ao Paiaguás, Mauro Mendes (PSB), confirmou que recepcionará a presidenciável em sua chegada ao aeroporto, prevista para as 14h desta quarta (25). De lá, ela segue para o ginásio do Colégio São Gonçalo, onde participa de reunião em apoio ao projeto de reeleição do governador Silval Barbosa (PMDB).

A cúpula da coligação de Mendes se reuniu na tarde desta terça (24) com o objetivo de encaixar um ato político em prol de sua candidatura na disputada programação de Dilma em Mato Grosso. Ela incia a agenda em Rondonópolis, vindo de Mato Grosso do Sul, e já teria compromisso agendado em outro Estado ainda nesta quarta, conforme informou o coordenador da campanha de Silval, o vereador Francisco Vuolo (PR).

Mesmo antes do anúncio da visita da presidenciável, os dois candidatos ao Governo “disputam” o apoio dos eleitores de Dilma. O governador, que pertence ao partido do candidato a vice-presidente, Michel Temer (PMDB), e também conta com o PT em sua coligação, segue confiante na dobradinha eleitoral, tentando replicar na corrida ao Paiaguás a chapa que concorre à Presidência.

Já o grupo que sustenta a candidatura de Mendes, que conta com partidos que nacionalmente apoiam os adversários da petista, José Serra (PSDB) e Marina Silva (PV), tenta tirar a desvantagem com o fato de o PSB integrar a equipe de coordenação da campanha da candidata. Em reação às indicativas de que ela somente subiria no palanque de Silval, os líderes da campanha do empresário afirmaram diversas vezes, inclusive com a divulgação de um vídeo no YouTube, que a própria Dilma teria garantido que apoiaria todos os candidatos que fizessem parte de sua base, mesmo que estivessem em coligações divididas nos Estados

sábado, 21 de agosto de 2010

A TV Aripuanã Esta mudando de endereço




A TV Aripuanã ficara fora do ar hoje sabado e domingo . Estamos mudando de endereço e para transferir devera levar dois dias.

Portanto pedimos escusas aos nossos telespectadores e na segunda ou domnigo a tarde ja estaremos retornado com nosso sinal.

Justiça Eleitoral orienta eleitor a levar 'cola' no dia da Eleição



Os Eleitores neste ano poderão votar para cargos de deputado estadual, deputado federal, duas vagas para senador, governador do Estado e presidente da República. São seis votos em uma mesma eleição. Para que o eleitor não erre o voto, e para evitar que se esqueça dos números do seu candidato, a Justiça Eleitoral orienta a levar uma 'cola' no dia da eleição.

Na cola, o eleitor deve colocar na ordem de votação os números dos candidatos nos quais quer votar. Os primeiros a aparecer nas urnas serão os candidatos às vagas proporcionais, como deputado estadual e deputado federal. Depois para as vagas majoritárias, senador 1ª vaga, senador 2ª vaga, governador e por fim presidente da República.

Este ano a eleição será no dia 3 de outubro, um domingo. Caso nenhum candidato a presidente ou a governador alcance a maioria dos votos válidos neste dia (50% mais um), haverá segundo turno no dia 31 de outubro.

Além da "cola" contendo os números dos seus candidatos, o eleitor deve levar, obrigatoriamente, o titulo eleitoral e um documento oficial com foto, podendo ser: carteira de identidade, carteira de habilitação, carteira de trabalho ou certificado de reservista. Não serão aceitos certidão de nascimento e certidão de casamento.

sexta-feira, 20 de agosto de 2010

Aripuanã Operação prende 10 caminhões e 12 pessoas com madeira de reserva indigena



Cleomar Diesel/Tvaripuanã/fotos Top news
Na madrugada desta sexta, 20, a Polícia Federal ,Força nacional e Ibama deflagrou Operação de combate à extração ilegal de madeiras em terras indígenas próximas ao município de Aripuanã.

De acordo com Dr. Mario Delegado chefe da Operação , que concedeu entrevista coletiva hoje pela manha , esta Operação faz parte da Operação Arco de fogo que a dois anos vem sendo executada pela força nacional juntamente com o Ibama e outros órgãos na região da amazõnia legal .

Em Aripuanã só ontem a noite foram apreendidos 10 caminhões e doze pessoas estão sendo indiciadas .Contra os madeireiros receptadores estão sendo pedidos prisão preventiva e as prisões estarão sendo efetuados nas próximas horas. .Todos serão autuados por formação de quadrilha e encaminhados ao presídio.

Perguntado sobre qual seria a participação dos Indios o Dr. Mario disse que em caso de Índios “ INTEGRADOS” tambem serão presos e responderão da mesma forma.

A madeira apreendida de várias espécies nativas de elevado valor comercial, estará sendo depositada em local ainda não especificado , onde ficara a disposição da justiça que dará a destinação da mesma para projetos sociais.

A operação não tem prazo para terminar , nas próximas horas os policiais estarão fazendo incursões nas reservas indígenas com objetivo de destruir maquinários de extratores , prisões de pessoas que ainda estiverem na reserva e fazer um levantamento real da situação das matas nas reservas , que de acordo com o Delegado já sofrem a retirada ilegal de madeira a muito tempo.

quinta-feira, 19 de agosto de 2010

Policia Militar prende estuprador



A Policia prendeu nesta terça-feira Fábio Oliveira de Avelar, 41 anos, acusado de estuprar C.M.F. de 19 anos, na cidade de Aripuanã. A vítima em depoimento a policia disse que o acusado seria um ‘amigo’ da familia.

O mesmo se aproveitando da amizade com o casal, foi até a casa da vitima no interior do muncipio e usando de uma faca forçou a mulher a manter ato sexual . Em seguida deixou o local em uma moto.

Em seu depoimento, Fábio Oliveira confessou ser o autor do estupro, relatando o crime em detalhes, e disse que no momento da prisão ele estava aguardando uma carona para fugir para a cidade de Juína. Ele já está preso na Cadeia Pública de Aripuanã

Hoje a TV Aripuanã exibira materia completa sobre o caso.

quarta-feira, 18 de agosto de 2010

PF em RO deflagra Operação Adamas de Combate à Exploração Ilegal de Diamantes

A Polícia Federal desencadeou na manhã de hoje, 18, a Operação Adamas, objetivando o combate à extração e comercialização ilegal de diamantes provenientes do garimpo da Reserva Indígena Roosevelt, município de Espigão D’oeste em Rondônia.

A ação tem como origem duas investigações desenvolvidas simultaneamente pela Delegacia de Polícia Federal em Vilhena/RO, iniciada em agosto de 2009, e pela Superintendência Regional da PF em Mato Grosso, iniciada em fevereiro de 2010. Foram investigadas duas quadrilhas distintas, mas ambas especializadas na exploração ilegal de diamantes, com extensões em seis Estados e no Distrito Federal.

A ação ocorreu simultaneamente nos municípios de Espigão D’oeste, Cacoal, Monte Negro e Ariquemes, todos no Estado de Rondônia; Belo Horizonte, Teófilo Otoni, Patos de Minas, Coromandel e São Gonçalo do Abaeté, em Minas Gerais; Juína e Cuiabá, no Mato Grosso; Campo Grande/MS; Goiânia/GO; Brasília/DF e São Paulo/SP.

Foi mobilizado um efetivo de cerca de 200 policiais federais para a operação, que tem como objetivo o cumprimento de 16 mandados de prisão temporária, 2 mandados de prisão preventiva e 45 mandados de busca e apreensão, dentre os quais, 9 prisões em Espigão D’oeste/RO, 1 prisão em Monte Negro/RO, 1 prisão em Teófilo Otoni/MG, 4 prisões em Patos de Minas/MG, 2 prisões em Brasília/DF, e 1 prisão em São Paulo/SP. Os mandados foram expedidos pela Justiça Federal de Ji-Paraná/RO e Cuiabá/MT.

A investigação indicou a existência de uma organização criminosa dividida basicamente em dois ramos de atividade ilícita. O primeiro atua fortemente junto ao garimpo, na atividade de extração propriamente dita. O segundo grupo atua diuturnamente na negociação das pedras preciosas obtidas ilicitamente, arregimentando compradores e intermediários interessados em adquirir os minérios e repassá-los a outros compradores localizados em diversos Estados da Federação.

No decorrer das investigações, foram realizadas 7 (sete) apreensões de diamantes, o que reforçou ainda mais o conjunto de provas colhidas até o momento. A apreensão mais recente se deu no aeroporto de Cuiabá/MT, quando um dos investigados transportava 24 pedras de quilates diversos. Em uma das apreensões anteriores, ocorrida em 24/03/2010, uma única pedra de diamante de cerca de 1 centímetro de diâmetro, com 28 quilates, foi avaliada por peritos criminais federais em R$ 233.000,00 (duzentos e trinta e três mil reais), o que indica que a quadrilha movimentava minérios de grande valor. Todas as apreensões realizadas alcançaram o valor aproximado de R$ 500.000,00 (quinhentos mil reais).

As ações da Polícia Federal na Reserva Roosevelt, iniciadas no ano de 2004, já alcançaram a apreensão de aproximadamente 3.000 quilates de diamantes. Somente neste ano, a Polícia Federal já realizou no Estado de Rondônia a apreensão de 419 quilates de diamantes ilegalmente extraídos da reserva Roosevelt, com a prisão de 4 pessoas, envidando esforços na defesa dos indígenas e com o objetivo de encerrar as atividades garimpeiras ilegais na região.

O nome da operação vem do grego ADAMAS, que significa “indomável” ou “inflexível”, termo usado por escritores gregos para definir pedra de dureza “impenetrável”, como o diamante.

TJ mantém transferência de juiz ,transfere Juiz acusado de pedofilia para Contriguaçu

Fonte Gazetadigital

O juiz Fernando Márcio Marques de Sales, da comarca de Paranatinga (373 km ao sul de Cuiabá), não será afastado das suas funções mesmo diante das acusações de abuso contra crianças e adolescentes do município. O magistrado será transferido na próxima semana para o município de Cotriguaçu conforme a Corregedoria-Geral de Justiça.

Para o presidente da Ordem dos Advogados do Brasil de Mato Grosso (OAB-MT), Cláudio Stábile, a medida mais correta seria o afastamento do juiz durante as investigações das denúncias que pesam contra ele. "Pela gravidade do caso, o mais adequado seria o afastamento para esclarecer a situação e dar uma resposta à sociedade".

Stábile destaca que transferir o magistrado de comarca não resolve um problema tão grave. O presidente comenta ainda que o pleno do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT) tem o poder de decidir pelo afastamento até o final da apuração, sempre oferecendo ao investigado o direito de ampla defesa e do contraditório.

A posição da Corregedoria-Geral de Justiça é diferente do entendimento da OAB-MT e manterá o juiz nas funções.

Conforme a assessoria, a transferência para outro município não está ligada às denúncias contra o magistrado em Paranatinga, mas sim com a carência de juiz em Cotriguaçu e região.

A Corregedoria abriu sindicância sobre o caso e um juiz foi designado para apurar as informações, inicialmente colhidas pela Polícia Federal e encaminhadas para o Ministério Público no dia 2 de agosto. Como Salles tem foro privilegiado e denúncias contra juizes são apuradas pela corregedoria, o MP encaminhou o documento para o órgão competente.

O magistrado é investigado por abuso sexual de crianças e adolescentes, entre elas uma menina de 8 anos. Depoimentos de 3 pessoas, incluindo a menina, mostram que ele oferecia dinheiro e benefícios a jovens carentes em troca de sexo. Duas adolescentes organizavam os encontros. O magistrado não quis se pronunciar sobre as acusações.

Silval lidera para governo; Blairo e Antero a senador




Pesquisa do Instituto Gazeta Dados

Governador Silval Barbosa (PMDB) impõe 8 pontos percentuais de vantagem sobre o 2º colocado tucano Wilson Santos, ex-prefeito de Cuiabá, na primeira rodada de pesquisa do Instituto Gazeta Dados sobre as intenções de voto ao governo. Em 3º lugar, está o empresário Mauro Mendes (PSB), com 15%. Para o Senado, se as eleições fossem hoje Blairo Maggi e Antero Paes de Barros venceriam a disputa com 66% e 29%, respectivamente.

terça-feira, 17 de agosto de 2010

Historia de Aripuanã

fonte O documento
Pouca gente, talvez, saiba a origem do bairro Osmar Cabral, em Cuiabá.
Osmar Cabral foi um dos mais reconhecidos profissionais da fotografia de Mato Grosso. Começou a trabalhar com o então prefeito de Várzea Grande, na época, Júlio Campos, no início da década de 70.

Depois da prefeitura, Osmar Cabral também trabalhou com Júlio Campos no período de Deputado Federal, já no início dos anos 80. Quando Júlio Campos se tornou Governador de Mato Grosso, Osmar Cabral foi nomeado para trabalhar na Secretaria Estadual de Comunicação (Secom) como fotógrafo oficial do Governo.

Mas em outubro de 1984, um acidente aéreo interrompeu os trabalhos de Osmar Cabral. Ele, juntamente com uma comitiva do Governo do Estado, estava no município de Aripuanã. Naquele período, Júlio Campos, como chefe do Executivo, fazia trabalhos itinerantes do Governo em várias cidades do Estado.

Depois cumprir a sua missão naquele 24 de outubro, Osmar Cabral queria voltar para Cuiabá para revelar as fotos e fazer a distribuição para os veículos de imprensa. Mas mal a aeronave decolou, alguns segundos depois, ela explodiu, matando todos que estavam dentro.

O acidente foi um choque para Mato Grosso. O caso teve repercussão na imprensa nacional.

Origem do Bairro

Amigos e parentes de Júlio Campos faziam na mesma época uma espécie de cota. Eles estavam arrecadando dinheiro para fazer o aniversário do governador, que seria realizado em dezembro.

Para homenagear o amigo e companheiro Osmar Cabral, o governador Júlio Campos e a primeira dama do Estado, professora Isabel Campos, aproveitaram o dinheiro que faria a festa, e compraram uma área, que foi distribuída em mais de 2 mil lotes.

No dia do aniversário, 11 de dezembro, Júlio Campos e a professora Isabel levaram os convidados como se fossem para realizar a festa. Mas Júlio e a primeira dama fizeram uma surpresa. Contaram aos amigos que o dinheiro que seria para o aniversário foi usado para comprar o loteamento que ganhou o nome de Osmar Cabral.

EXPECTATIVA Começa hoje o horário gratuito na rádio e TV




O horário eleitoral gratuito se inicia hoje com a apresentação de propostas dos candidatos à Presidência da República e deputado federal. Na quarta-feira (18), os mato-grossenses terão a oportunidade de conhecer o plano de governo dos candidatos ao governo do Estado, Senado e deputado estadual, que sempre aparecerão às segundas, quartas e sextas-feiras até o dia 30 de setembro, conforme estipula o calendário eleitoral formulado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

De acordo com levantamento realizado pela ONG Contas Abertas, a Receita Federal deixará de arrecadar neste ano R$ 856.359.976,86 em razão do horário eleitoral gratuito -dinheiro suficiente para custear um ano de estudo para 635 mil alunos, um contingente de estudantes de rede pública de uma grande capital.

A legislação eleitoral permite que as emissoras de rádio e TV deduzam do Imposto de Renda 80% do que receberiam caso o período destinado ao horário gratuito fosse vendido para propaganda comercial.

As rádios e as TVs precisam comprovar, por meio de nota fiscal emitida na véspera do horário eleitoral, o valor cobrado pelos comerciais. Essa nota não pode ser discrepante de outras operações com a iniciativa privada nos 30 dias anteriores e 30 dias posteriores a essa data.
Com base no montante encontrado, estima-se quanto a emissora perdeu por ter cedido o tempo.

O valor é subtraído do faturamento da emissora antes de ser calculado o imposto.
Desde 2002, a União já deixou de arrecadar R$ 3,65 bilhões em razão do horário eleitoral gratuito.

segunda-feira, 16 de agosto de 2010

Experiência vai garantir diploma

Tvaripuanã/ A Gazeta

Trabalhadores que há muito tempo desempenham uma função, mas não têm diploma que comprove sua formação podem se inscrever no Programa Certific, a partir de hoje. As inscrições vão até 10 de setembro. Os interessados devem procurar o instituto federal de educação, ciência e tecnologia (Ifes) mais próximo.

O Certific é uma parceria dos ministérios da Educação e do Trabalho e Emprego. Inicialmente, serão reconhecidos profissionais das áreas de música, pesca e aquicultura, turismo e hospitalidade, construção civil e eletroeletrônica. Tanto as inscrições quanto a própria certificação e emissão de diplomas é gratuita.

O trabalhador será avaliado por uma equipe multidisciplinar composta por assistente social, pedagogo e especialistas da área. Depois da entrevista, há duas possibilidades. Se for constatada a excelência do trabalhador, ele recebe um certificado do instituto federal comprovando sua qualificação. Caso sejam constatadas falhas técnicas, o próprio instituto federal se encarrega de oferecer a formação ao trabalhador. Se for constatado déficit escolar, o trabalhador é encaminhado para uma escola de educação básica.

Mais informações podem ser obtidas pelo telefone 0800-616161.

quinta-feira, 12 de agosto de 2010

MARK E RDNEWS divulgam nova pesquisa


Silval lidera com 37%; Mendes chega a 21% e já empata com Wilson

De acordo com a pesquisa, Silval, que comanda o Estado há quatro meses, está consolidado em primeiro lugar. Em abril aparecia com 30,9% e hoje, três meses depois, figura com 37,7%. Ganhou sete pontos neste período. O ex-prefeito de Cuiabá perdeu 9 pontos percentuais. Saiu de 30,2% para 21%. Em junho, o tucano chegou a reagir, com 27% das intenções de voto, mas voltou a cair. Enquanto isso, o candidato do PSB que estava com 19,9% no final de abril se recuperou e hoje está empatado literalmente com o tucano.

Durante os cinco dias de trabalho de campo, os pesquisadores da Mark entrevistaram 1.126 pessoas de 53 municípios, distribuídos em 9 regiões (Baixada Cuiabana, Sul/Leste, Oeste, Médio-Araguaia, Baixo-Araguaia, Noroeste, Norte, Extremo-Norte e Médio-Norte). A margem de erro é de 3 pontos percentuais para mais ou para menos. A pesquisa está registrada no TRE-MT, sob protocolo 25.430/2010. A pesquisa é estimulada, ou seja, ao entrevistado é apresentada relação dos nomes dos candidatos à sucessão estadual.

O candidato do PSOL Marcos Magno é o "lanterna". Conta com 1,3% das intenções de voto. A dois meses das eleições, os indecisos representam 16,8%. Dois por cento disseram que votariam em branco ou anulariam o voto.

Nortão: 60 casas e 15 madeireiras incendiadas; aviões combatem fogo nesta 5ª



Fonte: Só Notícias/Editoria (fotos: Só Notícias/Antonio Farias-Mutuca)

http://www.youtube.com/watch?v=yENNf28VClI

As chamas que aterrorizam os moradores de Marcelândia (210 km de Sinop) "entraram" noite adentro e serão combatidas, nesta 5ª feira de manhã, por dois aviões que, juntos, têm capacidade para jogar 4,5 mil litros de água. O "socorro" chegou tarde (fogo começou a ganhar grande proporção por volta das 12h), mas é indispensável porque o saldo do "incêndio gigante" é arrasador: pelo menos 15 madeireiras atingidas - maioria foi destruída totalmente. Outras tiveram parte da estrutura atingida. São cerca de 60 casas que também foram completamente destruídas. Um bar e uma mercearia também foram destruídos.

As primeiras equipes dos bombeiros e defesa civil chegaram esta tarde a Marcelândia. Um helicóptero está dando apoio. Os oficiais sobrevoaram a área e repassaram informações para as cúpulas e a Casa Militar do Governo Estadual que definiram a operação emergencial. "Montamos uma estrutura inicial de combate, orientando a população, atendendo prioridades. As chamas ainda estão e a situação continua crítica. Estamos fazendo combate efetivo ao fogo e trabalho preventivo. Mas ainda não temos em levantamento exato da área destruída. Mas é grande", afirmou, ao Só Notícias, o major Aluizio Metelo Junior, do Corpo Bombeiros, que está em Marcelândia.

As imagens são semelhantes a de um filme de terror. A destruição deixou rastro quilométricos. Conforme Só Notícias já informou, começou no lixão, perto do setor industrial e passou para algumas áreas rurais. O vento forte fez as chamas se espalharem e atingiram um barracão de madeireira passando para a primeira colônia (conjunto de casas de madeiras usadas pelos funcionários). As madeireiras e casas ficavam próximas uma das outras. As chamas altas e o vento forte fizeram com que, cada vez mais, o fogo aumentasse, causando muito mais destruição e desespero.

Marcelândia não tem Corpo de Bombeiros. Mas, sua gente, tem muita solidariedade. Não demorou muito para que dezenas de pessoas passassem a ajudar os que estavam na "linha do fogo". Móveis, roupas, comida e demais pertences eram retirados das casas e colocados no outro lado da rua. Pás carregadeiras arrastavam madeira e toras que estavam nos pátios de outras madeireiras. Parte dos maquinários também foi salva. Mas com o avanço rápido do jogo, pouco foi salvo. Alguns poucos tanques, rebocados com tratores e com bombas, jogavam pequena quantidade de água. A rede elétrica foi desligada para evitar mais problemas.

O desespero tomava conta de empresários, funcionários, mulheres, crianças. 84 foram encaminhadas para o hospital municipal, com intoxicação da forte fumaça e alguns com queimaduras. Cerca de 14 ainda permancem hospitalizadas para terem outros cuidados. Nenhuma corre risco de morte.

Mais de 100 pessoas desabrigadas foram levadas para escolas municipais e salão paroquial da Igreja Católica, onde ficarão nos próximos dias. Precisam de roupas e comida. Posteriormente, contarão com solidariedade para ganharem alguns móveis e recomeçarem a vida.

Ainda não é possível calcular o prejuízo com a destruição das madeireiras. Nesta 5ª, após os focos serem debelados, é que começa ser feito levantamento. A tragédia terá forte impacto na economia de Marcelândia, que tem a atividade florestal como um dos fortes pilares

quarta-feira, 11 de agosto de 2010

Soldados da borracha’ ainda lutam por compensação na Amazônia brasileira


Fonte: BBC News

Na Amazônia brasileira, um grupo esquecido de trabalhadores que se alistou para ajudar os aliados na Segunda Guerra Mundial ainda sonha em voltar para as casas que deixaram ainda na adolescência.

São os chamados “soldados da borracha”, enviados para trabalhar como seringueiros na floresta e ajudar na produção da borracha necessária no esforço de guerra.

Hoje octogenários, eles ainda esperam o desfecho de uma batalha legal que pode finalmente trazer a eles o reconhecimento e a recompensa financeira que tinham sido prometidos há 67 anos.

Em 1943, enquanto os Estados Unidos, a Grã-Bretanha e seus aliados estavam lutando nos campos de batalha na Europa, no Norte da África e no Oriente, milhares de brasileiros empobrecidos eram convocados para cumprir com seu dever patriótico.

'Heróis'

Manuel Pereira de Araújo lembra o dia que mudaria sua vida para sempre ao se juntar aos “soldados da borracha”.

“Um oficial do Exército chegou à minha cidade e nos disse que podíamos nos juntar à luta na frente de batalha na Itália ou ir para a Amazônia. Ele disse que nos tornaríamos heróis na batalha da borracha e ficaríamos ricos extraindo látex”, disse.

O esforço de recrutamento era parte de um acordo firmado entre o Brasil e os Estados Unidos.

Com o principal produtor mundial de borracha da época, a Malásia, sob ocupação japonesa, e a borracha sintética não disponível na escala necessária para suprir os esforços de guerra, os Estados Unidos precisavam de uma fonte confiável de borracha.

Os Acordos de Washington previam que o Brasil supriria todo o látex que pudesse produzir em troca de US$ 2 milhões (cerca de US$ 25 milhões, ou R$ 44 milhões, a preços de hoje) dos Estados Unidos.

Nordeste

O governo brasileiro centrou sua campanha de recrutamento no nordeste, entre a população pobre que sobrevivia com produção agrícola de subsistência em terras áridas.

“Era uma vida de pobreza. Não havia dinheiro ou trabalho para nós lá. Nós comíamos somente feijão e mandioca, e as colheitas eram tão pobres que muitas vezes passávamos fome”, conta Claudionor Ferreira Lima, presidente do Sindicato dos Soldados da Borracha de Porto Velho.

“Eu deixei minha noiva para trás, achando que ficaria rico e voltaria em dois anos para começar uma família. Até onde eu sei, ela ainda está esperando”, diz.

Cerca de 55 mil pessoas, em sua maioria homens jovens, se alistaram, mas muitos deles nunca mais viram suas famílias ou suas casas.

Inferno

Ferreira Lima lembra o momento em que desembarcou na verde e exuberante floresta amazônica, após uma viagem de vários meses por caminhão e barco.

“Pensávamos que tínhamos chegado ao paraíso, mas em vez da glória encontramos o inferno”, diz.

“Era escravidão”, afirma Antonio Barbosa da Silva, outro soldado da borracha. “Não havia salário, e se você não produzisse não comia”, diz.

“Tirávamos a borracha e trocávamos por comida e por outros bens na loja do seringal”, relata.

Cabanas

As promessas do governo de assistência médica, acomodação e alimentação não se cumpriram.

“Eles nos deram somente dois pares de calças, então quando uma estava suja eu usava a outra. Não havia onde dormir, então tínhamos que construir uma cabana com madeira e folhas de palmeira”, conta Manuel Pereira de Araújo.

Sem médicos nem hospitais, milhares de soldados da borracha morreram de malária, hepatite ou febre amarela.

Outros foram atacados por onças e jacarés ou sucumbiram a picadas de cobra.

“Aqueles que tentavam sair recebiam seu pagamento e ouviam que estavam livres para ir. Mas perto dali havia pistoleiros contratados para atirar neles, tomar seu dinheiro e trazer de volta para o patrão”, lembra Araújo.

Famílias

Em busca de uma vida melhor, muitas famílias dos soldados da borracha também decidiram embarcar nos navios do governo em direção à Amazônia.

Vincenza da Costa tinha só 14 anos quando seu pai decidiu que a família deixaria para trás a seca do Ceará.

“Ele disse para a minha mãe: ‘Vamos, Cândida. Plantei minha última semente, e sem chuva há oito dias, ela já morreu’. Mas era minha casa e eu queria ficar. Chorava todo dia”, ela conta.

“Nós estávamos com muitas saudades de casa, mas nossa mãe disse: ‘Por que vocês estão tão tristes? Pelo menos aqui podemos comer’. Então tentávamos levantar nossos espíritos fazendo músicas”, relata.

Rádio

José Duarte de Siqueira era apenas um menino quando os soldados da borracha chegaram à sua cidade-natal, no Estado do Acre.

“Havia apenas um bar com um rádio. Escutávamos as transmissões em português da BBC de Londres e passávamos as notícias sobre a guerra para os que viviam nos seringais”, conta.

Foi pelo rádio que Araújo descobriu que a guerra havia terminado.

“Foi em 8 de maio de 1945 que eu ouvi as notícias, e estávamos muito felizes porque pensamos que receberíamos nossos pagamentos e poderíamos voltar para casa”, diz.

Pensão

Mas a prometida remuneração nunca chegou e, sem dinheiro para voltar, a maioria dos homens permaneceu nos seringais.

Após alguns anos, o governo começou a pagar a eles uma pequena pensão.

Hoje cerca de 8.300 soldados da borracha sobreviventes e 6.500 viúvas recebem R$ 1.020 por mês, mas é muito menos do que eles foram levados a acreditar que ganhariam.

Nos escritórios dilapidados do Sindicato dos Soldados da Borracha, Lima está otimista com a possibilidade de um aumento da pensão.

“Eu me tornei presidente do sindicato para lutar por justiça, porque os soldados da borracha merecem coisa melhor”, diz.

Políticos simpatizantes da causa nos Estados do Acre, de Rondônia e do Amazonas estão pressionando para que o aumento da pensão ocorra logo.

Em maio deste ano, foi feito um novo pedido de urgência para a aprovação do aumento.

Advogados

Uma equipe de advogados também tenta garantir indenizações.

“Meu avô foi um soldado da borracha, e eu cresci ouvindo suas histórias. A contribuição que eles deram e a injustiça contra eles são parte da memória do povo da região amazônica”, afirma o advogado Irlan Rogério Erasmo da Silva.

“Estamos pedindo R$ 764 mil para cada soldado da borracha. Não é só sobre o dinheiro que foi mandado pelos Estados Unidos. Estamos também pedindo indenizações pelas violações aos direitos humanos sofridas por eles”, diz.

Com a batalha legal em andamento, muitos dos soldados da borracha ainda sonham com a “volta para casa”.

“Fiquei esperando todos esses anos para receber meu dinheiro”, diz Araújo.

“Quando ele chegar, vou voltar para o nordeste. Meus pais já morreram, mas vou ficar com meus irmãos e minhas irmãs”, afirma.

Mas o tempo está se esgotando, e para muitos dos soldados da borracha, já é tarde demais.

Comarca de Aripuanã inicia julgamentos em agosto

Fonte o documento

Terão início no próximo dia 16, na Comarca de Aripuanã ;as sessões de julgamento do Tribunal do Júri designadas pela juíza titular Alethea Assunção Santos, para serem realizadas naquele município durante o segundo semestre de 2010. De acordo com o cronograma estabelecido pela magistrada, um total de 15 processos com réus presos serão submetidos a julgamento popular, sendo três no mês de agosto, cinco em setembro e sete em novembro.

Entre os casos a serem julgados está um homicídio ocorrido em 3 de fevereiro do ano passado, no centro da cidade. Conforme os autos, o denunciado, armado com uma faca, foi até a casa da vítima e lhe desferiu vários golpes no pescoço. O crime teria acontecido porque a vítima havia dito ao agressor que iria denunciá-lo pelo uso de drogas. O réu responderá por homicídio qualificado por recurso que dificultou a defesa da vítima, além de motivo fútil.

Conforme a gestora geral da unidade judiciária, Tânia Mara Becker Hort, a realização dos julgamentos representa um passo importante da comarca em direção ao cumprimento das metas instituídas no planejamento estratégico do Poder Judiciário de Mato Grosso, que elenca entre suas prioridades o julgamento de todos os processos de competência do Tribunal do Júri distribuídos até 31 de dezembro de 2007.

No mês de outubro não haverá julgamento em razão da prioridade a ser dada aos trabalhos eleitorais, pois a juíza Alethea Assunção Santos, além de titular da Comarca de Aripuanã, responde pela 11ª Zona Eleitoral que abrange, ainda, o Município de Colniza (1.065 km a noroeste da Capital).

Após o primeiro turno das eleições, os julgamentos no município serão retomados no mês de novembro. A previsão é que, até dezembro, outras sessões de julgamento pelo Tribunal do Júri possam ser designadas na Comarca de Aripuanã, onde tramitam um total de 5.612 processos.

As sessões do Tribunal do Júri terão início sempre às 8h.

Aprovado zoneamento da cana para Mato Grosso



O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento aprovou o zoneamento agrícola da cana-de-açúcar - ano safra 2010/2011- em dez Estados e no Distrito Federal. Objetivou-se, com a medida, identificar as áreas aptas e os períodos de plantio com menor risco climático para o cultivo em Mato Grosso, Minas Gerais, Bahia, Espírito Santo, Rio de Janeiro, Tocantins, Goiás, Mato Grosso do Sul, Rondônia, São Paulo, além do DF.

Para essa identificação foram avaliados, entre outros aspectos, as exigências hídricas e térmicas da cultura, a aptidão climática, as ofertas climáticas, a produtividade, o nível de tecnologia, os solos e o relevo. Para delimitação das áreas aptas ao cultivo da cana-de-açúcar em condições de baixo risco, foram consideradas as variáveis: temperatura média do ar, deficiência hídrica anual, índice de satisfação das necessidades de água (ISNA) e o risco de geadas.

No território mato-grossense, por exemplo, foram considerados aptos ao plantio de novas áreas de cana, destinadas à produção de etanol e açúcar (exceto mascavo), cidades como Água Boa, Alto Araguaia, Alto Boa Vista, Alto Garças, Alto Taquari, Araguaiana, Barra do Bugres, Barra do Garças, Bom Jesus do Araguaia, Brasnorte, Campinápolis, Campo Novo do Parecis, Campo Verde, Campos de Júlio, Canabrava do Norte, Canarana, Cocalinho, Comodoro, Confresa, Conquista D’Oeste, Diamantino, Dom Aquino, Ipiranga do Norte, Sorriso, Tangará da Serra, além de outros municípios.

Na lista das indicadas para o plantio da cana objetivando-se a produção de etanol, açúcar e outros afins, aparecem Nova Mutum, Paranaíta, Sinop, Sorriso, Tabaporã, Vera, Várzea Grande, Santa Carmem, e demais.

No Brasil, o cultivo desta cultura destina-se, em sua maior parte, à produção de açúcar e de etanol, em menor escala, para outras finalidades, como a alimentação animal e fabricação de aguardente. Noticia veiculada pelo site sonoticias de Sinop.

Se esta moda pega


O candidato ao senado pela coligação Liberdade Produzir para Empregar João Correia e o jornalista da TV5, Demóstenes Nascimento brigaram quando gravavam um programa de entrevista para a emissora. Ambos envolvidos foram encaminhados ao 8º DP, delegacia localizada no bairro Xavier Maia, onde registraram queixa. Em seguida, o candidato do PMDB, João Correia foi levado ao Instituto Médico Legal – IML, para fazer exames de corpo delito.

Segundo noticia veiculada pleos meios de comunicação do Acre, João Correia, teve fratura em um dos dedos, além escoriações pelo rosto. Já o jornalista Demóstenes Nascimento, diz que foi xingado pelo candidato durante a gravação, em seguida João Correia teria o agredido fisicamente.

“Ele me chamou de vários palavrões, depois me agrediu, apenas me defendi, além disso, as gravações feitas provam o que afirmo, relatou, o jornalista Demóstenes Nascimento.

O candidato João Correia, contrariou as afirmações, do jornalista. De acordo com o candidato, durante a gravação do 2º bloco do programa, Demóstenes teria discordado de uma resposta sobre as obras de pavimentação da BR 364 no Acre, feitas por Correia, foi quando o jornalista começou a agredi-lo.

“Respondia um dos questionamentos do jornalista, quando o mesmo discordou de minha resposta, bastante nervoso, o jornalista se levantou, tirou o microfone e o paletó e começou a me bater. A única coisa que fiz foi tentar me defender das agressões”, comentou, João Correia.

Como calcular o consumo de energia



Todos os especialistas fazem coro ao dizer que a consciência do consumo leva a uma atuação ambientalmente responsável. Isso significa um planeta melhor e, quase sempre, economia no bolso.

Para isso é preciso ter no dia a dia a mesma atitude que se tem ao fazer o controle do orçamento familiar. A conta do consumo de energia elétrica não deve ser tratada diferentemente da que se faz com a do supermercado, da escola ou dos gastos com o carro.

Uma maneira simples e divertida de começar esse controle é entender como o consumo de energia pode ser melhor administrado no seu dia a dia e não apenas quando chega a conta de luz, no mês seguinte.

Para chegar a esse cálculo você precisa de quatro passos:

1. Pegar a potência de um aparelho elétrico (esse número, em watts, vem no próprio aparelho ou em seus manuais).

2. Dividir essa potência (P) por 1.000.

3. Multiplicar pelo tempo em que o aparelho ficou ligado (T).

4. Multiplicar pelo custo do kWh de sua concessionária de energia. A conta de luz traz o valor do kWh (kilowatt/hora).

Resumidamente, você terá P (potência) dividido por 1.000 vezes T (tempo). O resultado deverá ser multiplicado pelo valor do kWh.

Exemplo prático: o chuveiro. Uma média de potência é 5.000 watts. No caso de um banho de 20 minutos, a conta será: P (5.000 dividido por 1.000 = 5) multiplicado por T (tempo, que foi 20 minutos por dia x 30 dias = 600 minutos, ou 10 horas). Então, basta multiplicar 5 por 10 horas = 50. Aí multiplique pelo valor do kWh de sua conta (exemplo, R$ 0,30). Só com o banho o gasto será de R$ 15 por mês.

Pense numa casa de quatro pessoas. A conta pula para R$ 60 reais apenas com o chuveiro (fora os impostos que são cobrados em cima do valor da conta). Assim, se o banho for cortado para 10 minutos por dia, uma casa de quatro pessoas deixará de gastar R$ 360 por ano apenas no banho. Dá para economizar em todo o resto. E o planeta lucrará também.

MT quer produzir 60% mais arroz até 2020


Fonte famato
Conforme a Federação da agricultura de Mato Grosso Famatao ,Mato Grosso tem condições de aumentar a produção de arroz em até 60% até 2020, passando das atuais 800 mil toneladas para até 1,3 milhão de toneladas.
A estimativa do potencial é baseada em fatores como a melhora na qualidade dos grãos e o uso da cultura em sistemas de rotação.
Segundo a entidade, no entanto, o crescimento depende da criação de um fundo privado para financiar o investimento em novas tecnologias de produção e dar apoio à comercialização.
O Fundarroz, como foi chamado, foi discutido em Cuiabá em evento que reuniu pesquisadores, produtores e analistas da Embrapa.
"A ideia é que participem produtores, indústria e comércio, cada um contribuindo com um pequeno percentual da produção para fazer o fomento", afirma Rui Prado, presidente da Famato.
Uma segunda reunião será marcada para discutir os detalhes financeiros do fundo, que seria totalmente privado, diz Prado.
"As perspectivas são muito boas. Hoje, a região Centro-Oeste come arroz que vem do Rio Grande do Sul. E isso quando o produto não vem importado da Argentina e Uruguai", diz.
Carlos Magri Ferreira, analista da Embrapa Arroz e Feijão, diz que a expectativa dos produtores mato-grossenses não é exagerada.
Segundo ele, o arroz de terras altas (sequeiro) saiu recentemente de um "longo período de transição" no mercado.
"Esse tipo foi o mais consumido no país até o final da década de 1970. Foi quando o arroz longo e fino, conhecido como agulhinha, passou a ser o preferido", afirma.
Desde então, segundo ele, pesquisas com novas variedades buscaram obter um grão de sequeiro com o mesmo aspecto longo e fino exigido pelo mercado. "Hoje isso já é possível", diz.

Lançado no mercado compensações ambientais.


Fonte FOLHA SP

O setor agropecuário de Mato Grosso, representado pelas entidades como a Famato (Federação da Agricultura e Pecuária) e a Fiemt (Federação das Indústrias) lançaram na última semana uma bolsa de ativos ambientais que irá cadastrar, auditar e certificar propriedades rurais interessadas no mercado de compensações ambientais.
Os ativos de cada área serão avaliados a partir de parâmetros internacionais, diz Ricardo Arioli, diretor-executivo do Instituto Ação Verde, Oscip (Organização da Sociedade Civil de Interesse Público) ligada à Famato que irá se encarregar da certificação.
Ao final do inventário, os créditos serão colocados à disposição de quem quer compensar as emissões de suas atividades econômicas.
"Será uma plataforma de negócios. Uma empresa que utiliza carvão mineral nos EUA, por exemplo, poderá comprar ativos originados em uma fazenda de Mato Grosso", diz Arioli.
Segundo ele, o inventário não irá calcular o potencial de áreas de mata preservadas. Fatores como a biodiversidade e a "pegada hídrica" de cada propriedade também serão contabilizados e convertidos em créditos.
"Existem metodologias para calcular a contribuição de uma área de mata ciliar preservada para a disponibilidade de água em determinada região. Esse serviço ambiental pode se transformar em crédito", diz.
As primeiras áreas a serem cadastradas serão 1.234 pequenas propriedades ribeirinhas que participam de um programa de recuperação das margens do rio Cuiabá.
Arioli diz que Mato Grosso tem ativos ambientais suficientes para suprir com folga a demanda estadual. "Ao contrário do que costuma ser dito, temos mais ativos do que passivos."

Em contra partida .O ambientalista Laurent Micol, coordenador-executivo da ONG ICV (Instituto Centro de Vida), disse que avalia a proposta apenas como "uma intenção positiva".
"Na prática, o mercado de serviços ambientais ainda não existe. Não há compradores em grande escala e falta definir a regulamentação sobre o que pode e o que não pode ser contabilizado."

Impsa Fornecedora máquinas para as usinas de Simplício (RJ) e Dardanelos (MT) cresce no exterior e entra no clube do US$ 1 bi

Ao lado de um restrito grupo de empresas, como Techint e Arcor, a Impsa se firma como uma das mais bem sucedidas multinacionais argentinas e comemora neste ano sua entrada no clube do bilhão. Com a entrada em funcionamento de novos parques eólicos no Ceará e em Santa Catarina, além de contratos já garantidos para o fornecimento de turbinas de hidrelétricas em vários países da América Latina, a empresa espera um salto no faturamento: dos US$ 650 milhões de 2009, a expectativa é atingir US$ 1 bilhão.

A internacionalização da Impsa passou pela Malásia, onde tem um centro de produção de equipamentos hidromecânicos, guindastes e componentes de unidades geradoras. Também na Ásia, em abril, fechou joint venture com a Vietnam Petro Power para construir e operar um gigantesco conjunto de parques eólicos com mil megawatts (MW) de potência. Na vizinhança, os negócios estão aumentando em países como Venezuela e Uruguai. É no Brasil, entretanto, que estão suas apostas mais altas de crescimento.

"A participação do Brasil no faturamento da companhia passará de 40% para 60%, e pretendemos que continue nesse patamar", disse ao Valor o vice-presidente da Impsa, Juan Carlos Fernández. A empresa está investindo US$ 150 milhões para expandir sua unidade em Pernambuco, cuja ampliação será inaugurada em abril de 2011.

"Quando se investe tanto, é preciso levar em conta o que se imagina que ocorrerá nos próximos 20 anos. E os riscos políticos no Brasil são hoje muito baixos", continua Fernández. "É um país que oferece estabilidade econômica, segurança jurídica, boas condições de financiamento e tem um plano de energia confiável", afirma ele.

O volume de investimento pode subir caso ganhe o contrato de fornecimento de parte das turbinas para a usina de Belo Monte, hoje uma de suas principais prioridades. Por enquanto, não há data para retomar os planos de abrir o capital da holding Venti, sediada em Luxemburgo por razões tributárias, na BM&FBovespa. O plano foi abortado com a crise mundial. "Estamos prontos para sair ao mercado assim que ele se estabilizar", afirma Fernández. Hoje, a família Pescarmona detém 100% das ações. A Venti controla a Impsa, voltada exclusivamente a energias renováveis, da fabricação de equipamentos eólicos e turbinas até a operação de empreendimentos.

Sua atual carteira de projetos inclui 900 MW em parques eólicos e fornecimento de turbinas para hidrelétricas que totalizam 6,6 mil MW. No Brasil, fabrica máquinas para as usinas de Simplício (RJ) e Dardanelos (MT). Na semana passada, assinou contrato de R$ 160 milhões com a Copel, para fornecer turbinas kaplan à hidrelétrica de Colíder (MT), leiloada em 30 de julho. Ao contrato pode ser estendida a venda de equipamentos hidromecânicos e sistemas elétricos, levando-o a R$ 200 milhões. Nos últimos dias, também arrebatou contrato para repotenciar a usina de La Tasajera, na Colômbia, e decidiu fabricar os equipamentos para essas obras em Pernambuco.

Fernández adiantou que a Impsa participará do próximo leilão de energia de reserva e de fontes alternativas, no Brasil, com projetos de parques eólicos que somam "entre 300 MW e 400 MW". O certame está marcado para 25 e 26 de agosto.

Em eólica, a Impsa atua no desenvolvimento e execução de projetos no Brasil por meio da subsidiária Energimp, que tem o FI-FGTS como sócio desde março. A Energimp prepara-se para erguer novos projetos de 211 MW no Ceará, com investimentos de R$ 900 milhões até julho de 2012 (início da operação). Já é majoritária, em sociedade com a Cemig, em três parques eólicos no Estado, com 100 MW de potência. Também está em construção um conjunto de usinas em Santa Catarina, com 222 MW, no valor de R$ 1,3 bilhão.

Nesse último projeto, a Energimp conseguiu recentemente financiamento de R$ 837 milhões com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e com a Caixa Econômica Federal (CEF). A operação das usinas catarinenses deverá começar até fevereiro de 2011.


Fonte: Valor Econômico/DR

Aripuanã: Participe do Pit Stop da educação para o trânsito






Redação e fotos: topnews

No próximo sábado, dia 14 de agosto, a partir das 18:30 h., colaboradores do projeto Sinal Verde de Educação para o Trânsito – Educar para Preservar Vidas, irão se concentrar em frente ao Banco do Brasil para realizar a colagem de adesivos nos veículos que por ali circularem e também, através da orientação, abordar os condutores para que adotem um comportamento mais seguro no trânsito.

Na ocasião, a Polícia Militar estará presente, no entanto, como é uma ação de sensibilização dos condutores não será realizada a popular ‘blitz’, mas sim uma ação de orientação para a educação no trânsito.

Essa é mais uma atividade do projeto Sinal Verde, que já tem sua próxima ação agendada para o dia 22/08, trata-se de um mutirão que ocorrerá na localidade de Milagrosa, em um momento oportuno na comunidade que estará organizada em prol da eleição da diretoria da Associação.


FAÇA SUA PARTE, TRÂNSITO SEGURO É A GENTE QUE FAZ!
O TRÂNSITO NÃO É UMA ARMA, MAS MATA.

Iniciativa: Secretaria Municipal de Saúde
Parcerias: Prefeitura Municipal, Câmara de Aripuanã, Polícia Militar, CIRETRAN, CONSEG, Conselho Tutelar, Energética Águas da Pedra, Auto escolas Meridional e Aripuanã, Clube de Desbravadores Pérolas do Noroeste, Sec. de Educação e Cultura, Sec. de Obras e Viação Pública

Educação é vitima da Lei Eleitoral


Na maioria das escolas estaduais de Mato Grosso , existe a falta de professores .
Mesmo depois de uma longa discussão no Conselho Estadual de Educação não há previsão para a contratação de professores substitutos na rede estadual de ensino. O que há de "concreto" é o comprometimento do Tribunal Regional Eleitoral em marcar uma reunião com as Secretarias de Estado de Educação e Ciência e Tecnologia para possíveis encaminhamentos emergenciais.

Junto com as demais instituições presentes na reunião, entre elas o Conselho Estadual de Educação e o Sindicato dos Trabalhadores no Ensino Público de Mato Grosso (Sintep/MT), ficou acordado que todos iniciarão um movimento para tentar incluir a educação na lista de serviços essenciais do governo.

Isso foi deliberado depois que o representante do TRE, Edvaldo Rocha, contextualizou a decisão do pleno em não permitir a contratação de professores substitutos durante o período eleitoral. O coordenador lembra que a Lei de Greve nº 7.783, que especifica quais são os serviços e atividades consideradas essenciais não inclui a educação.

A discussão sobre legalidade ou não da contratação de professores para ocupar as vagas de quem tirou licença médica ou faleceu é inflamada, pois tanto as secretarias quanto o conselho e o sindicato defendem que a Constituição Federal também é clara ao afirmar que educação é um direito de todos e um dever do Estado.

O presidente do conselho, Geraldo Grossi Júnior, lembra que a legislação que define o que e quais são os serviços essenciais é antiga, ainda do período da ditadura militar, quando a educação não era vista com a importância de hoje.

A secretária estadual de educação, Rosa Neide Sandes, explica que a secretaria enviou, em março deste ano, uma petição ao TRE solicitando orientações de como proceder em casos de afastamento de professores e a necessidade de contratação. Entretanto, o tribunal apenas se manifestou no final de junho com um acórdão proibindo as contratações.

terça-feira, 10 de agosto de 2010

Senado aprova transferência das glebas da União para Estado promover reordenamento agrário

Já está aprovada no Senado a transferência das glebas Maiká e Cristalino/Divisa da União para o Estado de Mato Grosso. Agora a decisão segue para ser sancionada pelo presidente Lula. A expectativa é que isso se dê até o fim de agosto. Juntas, as áreas somam próximo de 2 milhões de hectares e são disputadas judicialmente pelo Estado e a União há cerca de 30 anos. O Instituto de Terras de Mato Grosso (Intermat) promoverá o reordenamento agrário das áreas após a publicação da sanção presidencial, no Diário Oficial da União (DOU).

A gleba Maiká (1,2 milhão de ha), nos municípios de Marcelândia e União do Sul, e a gleba Cristalino/Divisa (600 mil ha), que abrange o território de Novo Mundo, Matupá e Peixoto de Azevedo, tem posseiros morando na área há décadas. “Essas áreas são disputadas judicialmente e os maiores prejudicados com essa demora na regularização fundiária são os pequenos produtores rurais”, pondera o presidente do Intermat, Afonso Dalberto

Com o reordenamento agrário será possível apontar onde há áreas devolutas, deslocamento de títulos e onde começa e termina o Parque do Cristalino, dentro da gleba com o mesmo nome. Há várias situações diversas sobre quem ocupa a área. “Há casos de pessoas que entraram na área depois da criação do parque, outros já estavam no local antes da transformação da área em parque estadual e possuem títulos. Mas a definição de quem fica ou de quem sai da área é a Secretaria de Estado de Meio Ambiente quem vai dizer, e não o Intermat”, explica.

Na Gleba Maiká cerca de 80% da área já foi georreferenciada por meio de uma "varredura" que o Intermat fez e o processo de regularização está mais adiantado. Na Gleba Cristalino/Divisa os trabalhos devem começar do zero.

Segundo Afonso Dalberto, o Estado está precavido quanto aos riscos de grileiros se aproveitarem do reordenamento agrário para regularizarem áreas ocupadas irregularmente. “Há um limite de regularização fundiária de famílias por hectare e vamos respeitar isso dentro do que diz a legislação estadual. Quando o Estado percebeu a ação de ‘laranjas’ em outras glebas, como a Conselvam (Aripuanã e Colniza) e São Tomé (Apiacás), a Procuradoria Geral do Estado pediu a suspensão das matrículas e o cancelamento dos títulos dessas pessoas”.

segunda-feira, 9 de agosto de 2010

Valec promete ferrovia em Lucas do Rio Verde em dois anos

O Superintendente da Valec Engenharia e Construções de Ferrovia, André Luiz de Oliveira, garantiu que em dois anos a região Norte do Estado poderá contar com os benefícios da Ferrovia Centro-Oeste. André Luiz garante que toda a parte burocrática para a implantação da ferrovia está sendo concluída. “A ferrovia já está saindo do papel porque estamos nos trâmites de desapropriação das terras por onde passarão os trilhos, licitando o projeto básico” – informou, ao proferir palestra a lideranças agrícolas e empresariais, na Expolucas.

André apresentou as principais vantagens para o setor produtivo ter a Ferrovia Centro-Oeste para escoar a produção agrícola, pelo trem, até Porto Velho (RO) e, de lá, para o exterior, compreendo o traçado de Campinorte (GO), Lucas do Rio Verde a Rondônia e terá conexão com a Ferrovia Norte Sul (dando acesso a portos em São Paulo e Bahia). “Mato Grosso e Goiás estão precisando de uma ferrovia para transportar toda essa carga disponível e que nós da Valec já tivemos a oportunidade de conhecer” – ele disse.

“O traçado da ferrovia é definitivo e não muda mais. Nós estamos tirando a licença prévia até o final de setembro. Depois da licença a instalação e efetivamente a licitação da parte da construção da ferrovia que deve ocorrer ainda esse ano, conforme nosso presidente, na audiência pública realizada aqui em Lucas do Rio Verde” - disse.

Até dezembro de 2012, o trecho de Campinorte a Lucas do Rio Verde deverá estar concluído, segundo o superintendente da Valec. A obra foi dividida em vários lotes. A ferrovia terá uma parte de dormentes de concreto e sua capacidade será para escolar 20 milhões de toneladas/ano. R$ 4 ,1 bilhões serão investimentos nos mais de mil km de trilhos e terminais de grãos. Cada quilômetro da ferrovia custará gasto R$ 4 milhões.

A ferrovia vai gerar 12 mil empregos. Em cada lote, serão cerca de mil empregos diretos. Um dos lotes é em Lucas. "De repente, vai faltar mão de obra em Lucas do Rio Verde e alertamos para esta necessidade", disse o superintendente.
O prefeito Marino Franz, o vice-prefeito e presidente da Expolucas, Joci Piccini, também assistiram a palestra.

sexta-feira, 6 de agosto de 2010

Ministério do Ambiente vai apresentar Código Florestal alternativo

E quem achava que a nova Lei ambiental estava para ser aprovada de acordo com a decisão da comissão , estava enganado.
A ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, disse nesta quinta-feira (5) em São Paulo que a discussão sobre o Código Florestal é "extemporânea" e que vai fazer uma nova proposta de reforma na lei.

O Ministério do Meio Ambiente se opõe ao novo texto do código, do deputado Aldo Rebelo (PCdoB-SP), aprovado mês passado por uma comissão especial da Câmara.

Segundo João de Deus Medeiros, diretor de Florestas do ministério, apesar de o deputado já ter modificado seu projeto original, pontos "problemáticos" permanecem.

A intenção é tentar corrigi-los em forma de um substitutivo ou de destaques ao projeto, quando o assunto for discutido no plenário da Câmara -em data incerta.

Um deles é a anistia a desmatadores. Rebelo diz que ela tem base em decreto de 2009 do próprio ministério, o do programa Mais Ambiente. "O projeto subverte isso, porque dá essa possibilidade e ao mesmo tempo diz que o desmatamento consolidado fica mantido", diz Medeiros. "Como recuperar assim?"

Outros pontos que a proposta deve tentar alterar são a redução das áreas de preservação permanente e a possibilidade de supressão de remanescentes florestais com espécies ameaçadas.

Apesar de o código atual prever que essas áreas podem ser desmatadas se houver compensação ambiental, a Lei da Mata Atlântica, posterior ao código, as protege. "Entendemos que com a nova proposta essa lei fica comprometida", diz Medeiros.

Ele cita uma extinção decorrente disso: uma bromélia que só ocorria em uma região de Santa Catarina, inundada pela hidrelétrica de Barra Grande.

quinta-feira, 5 de agosto de 2010

Magistrados aprovam novas técnicas diferenciadas para conciliação

A formação de magistrados imbuídos pela cultura da paz, conhecedores de técnicas diferenciadas acerca da conciliação e mediação, e multiplicadores dessas ferramentas foi uma das conquistas viabilizadas pelo Curso de Formação de Multiplicadores em Mediação e Técnicas Autocompositivas, promovido por intermédio de parceria entre a Escola Superior da Magistratura do Estado de Mato Grosso (Esmagis-MT), Superior Tribunal de Justiça (STJ) e Ministério da Justiça. O curso, que teve início na segunda-feira (2 de agosto), terminou no final da tarde desta quarta-feira (4 de agosto).

A juíza Alethea Assunção Santos, da Vara Única da Comarca de Aripuanã ,salientou a importância da cultura da paz em comarcas menores e mais distantes de grandes centros. “Geralmente as pessoas são amigas ou conhecidas, quando não são da mesma família. Implementando a conciliação, prevenimos o surgimento de novos conflitos, pois as próprias partes chegaram ao acordo. Assim ainda conseguimos diminuir o número de processos”.

Riva tem registro deferido pelo TRE


Numa decisão unânime, o Pleno do TRE deferiu o registro de candidatura do presidente da Assembleia Legislativa José Riva (PP). Agora o parlamentar respira aliviado e pode pedir votos com mais tranquilidade. O relator do caso, desembargador Márcio Vidal, votou a favor da homologação da candidatura de Riva por entender que no momento da formalização do pedido de candidatura dele, não pesava contra o parlamentar nenhum tipo de inegibilidade. O voto dele foi acompanhado por Samir Hammoud, Sebastião de Arruda Almeida, Jorge Luiz Tadeu, Samuel Dalia e César Bearsi que declararam não ter dúvida sobre a legalidade do registro de Riva. "O relator tem razão e acompanho seu voto", pontuou Bearsi.

O deferimento da candidatura de Riva ocorreu após mais de meia hora de julgamento. Antes do relator ler seu voto favorável ao parlamentar, o procurador eleitoral Thiago Lemos apresentou o seu parecer solicitando o indeferimento da candidatura de Riva. Conforme ele, o progressista não possui a capacidade de preencher os requisitos legais para que possa disputar o pleito. “É inegável a inelegibilidade do candidato”, enfatizou Thiago.

Mauro mendes e Silval tecnicamente empatados em Cuiaba


Fonte RDnews
A 12 dias do início do horário eleitoral e a dois meses das eleições, o empresário Mauro Mendes (PSB) e o governador Silval Barbosa (PMDB) aparecem empatados tecnicamente em Cuiabá, com uma diferença de 4 pontos percentuais, na corrida ao Palácio Paiaguás. É o que revela pesquisa quantitativa do instituto Mark, realizada esta semana, entre os dias 2 e 4. Foram ouvidas 831 pessoas em 110 bairros. A margem de erro é de 4,5% para mais ou para menos. A pesquisa está registrada no TRE-MT, sob protocolo 25.561/2010. A capital mato-grossense detém o maior colégio eleitoral dos 141 municípios. São 386.991 eleitores, 18,4% do total.

Na pesquisa estimulada, quando os entrevistados têm acesso a lista dos candidatos, o nome de Mendes figura com 40,1%. "Colado" no socialista está Silval, com 36,1%. Ex-prefeito de Matupá e ex-deputado estadual por dois mandatos, o peemedebista tem como principal base eleitoral o Nortão. A pesquisa mostra que Silval começou a ganhar espaço na Baixada Cuiabana. Com uma ligeira vantagem, Mendes reside na Capital e em 2008 concorreu a prefeito e veio a perder no segundo turno para Wilson Santos.

Nesta amostragem, Wilson, que deixou o Palácio Alencastro para concorrer à sucessão estadual, figura em terceiro lugar. Está com 14,3% no município onde mora e administrou por cinco anos e três meses. O tucano aparece 21,8 pontos percentuais atrás de Silval e 25,8 de Mendes. Se as eleições fossem hoje, 1,9% do eleitorado cuiabano votaria em branco ou anularia o voto. Os indecisos somam 7,6%. O candidato do PSOL Marcos Magnon não pontuou.

Fifa escolhe Cuiabá para projeto piloto de monitoramento


Fonte agecopa

Cuiabá é a primeira sede a receber a visita técnica do Comitê Organizador Local (COL) da Copa do Mundo de 2014, que está implantando um sistema de acompanhamento e monitoramento das obras dos estádios. O engenheiro do Departamento de Estádios do COL, Fábio Carvalho, visitou hoje o canteiro de obras da Arena Pantanal, acompanhado de diretores da Agecopa, assessores técnicos e representantes do consórcio da empreiteira responsável pela construção do novo estádio.

Cuiabá foi escolhida para implantação do projeto-piloto de monitoramento por estar com as obras mais adiantadas entre as doze cidades-sedes. "Estamos cumprindo rigorosamente o cronograma e alcançamos um estágio avançado, com mais de 60% do aterro concluído, em fase de terraplenagem e em breve começaremos as fundações da nova Arena", disse o diretor de Infra-estrutura Carlos Brito.

O mecanismo deve estar funcionando na prática em três meses. Cada um dos locais definidos para receber os jogos do Mundial de 2014 será monitorado 24 horas por dia através de câmeras instaladas nos canteiros de obras. Na sede do COL na Barra da Tijuca, Rio de Janeiro, uma sala de controle vai comandar todo o processo até a efetiva conclusão dos novos estádios.

As câmeras, móveis, transmitirão imagens online, via internet, captadas a princípio pela Fifa, COL, comitês das 12 sedes e as três esferas de governo envolvidas com a Copa do Mundo. Outros níveis de acesso estão sendo estudados, incluindo a possibilidade de estendê-lo ao público em geral através do site do COL.
Monitoramento

O sistema permitirá que a Fifa e o COL tenham informações técnicas com rapidez, verificando se o projeto aprovado é o que está sendo tocado e também se as obras seguem o cronograma apresentado. Para interagir com o COL, os comitês terão de dispor, em cada estádio, de um escritório com engenheiro ou arquiteto, uma central de recepção de imagens, uma sala de vídeo e teleconferência, além de vários equipamentos, como rádio, laptop e impressora.

O sistema também prevê uma medição automática do "desempenho de cronograma", que, baseado em dados sobre o projeto, poderá confrontar a previsão inicial de conclusão das obras com a do instante da consulta. O engenheiro Fábio Carvalho integra a equipe de Carlos De La Corte, consultor-técnico do COL para estádios, que em maio fez a primeira visita técnica às obras da nova Arena de Cuiabá.