domingo, 18 de agosto de 2013

Mulher de MT caça golpista virtual na rede mundial Bloguista alerta para extorsão ‘amorosa’


Arquivo Pessoal
Clique para ampliar 
Caçadora de golpistas, Crystal Brasil tem blog referência na América Latina
DÉBORA SIQUEIRA
DA REDAÇÃO
Estrangeiro, apaixonado, inteligente, viúvo, pai dedicado. Com esses adjetivos e muitos emails prometendo uma tórrida história de amor, muitas mulheres brasileiras tem caído em golpes virtuais cometidos por scammers, como são conhecidos membros de máfias nigeriana, russa, senegalesa e malasiana, que se passam especialmente por militares americanos em missão no Oriente Médio e homens bem-sucedidos na Europa.

Com promessas de casamento, viagens e muitas conversas para iludir, se possível, as mulheres mais frias, muitos são os casos de pessoas que perderam muito dinheiro acreditando nos golpistas.

Para evitar novas vítimas, uma mulher, servidora pública de uma Prefeitura do interior de Mato Grosso, sob o pseudônimo de Crystal Brasil, se tornou uma caçadora de golpistas virtuais, uma referência na América Latina.

Por meio do seu blog forascammer.blogspot.com.br https://www.facebook.com/pages/fora-scammers, ela tem mostrado fotos utilizadas pelos golpistas e orientando as vítimas do crime.

Crystal passou a ajudar mulheres após uma amiga dela, em São Paulo, de pseudônimo de Meg, contar sobre os golpes virtuais e as formas de poder ajudar as vítimas.

Ela percebeu que os golpistas se aproximam das mulheres brasileiras - em alguns casos, homens também -, por meio de sites de relacionamento, como Par Perfeito, Amor em Cristo, Zoosk, dentre outros.

No Brasil, o assunto é pouco conhecido até mesmo pelas polícias, para efeito de uma tomada de providências.

Para se ter noção da quantidade de vítimas, basta dizer que, em dois anos, foram 486 mil visitas, 780 denúncias de golpes em brasileiras e mais de 3 mil comentários denunciando outros casos.

Em cerca de 90% dos casos, as mulheres mandaram dinheiro para os golpistas. São R$ 70 mil, R$ 40 mil, R$ 17 mil, dependendo da situação financeira da vítima e do grau de envolvimento com o sujeito.

De acordo com Crystal, o poder de persuasão é forte. Eles se apresentam como homens apaixonados, bem-sucedidos, viúvos, geralmente engenheiros ou militares, com filhos.

Após promessas de amor eterno e pedido de casamento, assinando mensagens como marido ou coisa semelhante, eles começam a ter problemas financeiros ou estão em apuros em outro país e precisam de dinheiro.

Por vergonha e humilhação, uma mulher paulistana cometeu suicídio após se endividar e mandar quase R$ 30 mil para um suposto general britânico em missão de paz no Afeganistão, chamado John Forbes.

Ele teria, supostamente, ganhado U$S 800 mil e, como não confiava em ninguém a não ser nela, iria mandar o dinheiro em uma maleta. Após uma história confusa de ter ajuda de um diplomata, ela pagou supostas tarifas de alfândega para a liberação da maleta.


Quando já estava desconfiando da veracidade, descobriu o blog de caça aos golpistas na internet e se matou. A irmã dela postou a história e encaminhou o caso para a Polícia Federal.

Destruição

“Existem vários tipos de golpes virtuais, os de ganhar na loteria, de doar recursos para entidades que não existem. Mas, os de romance são os mais covardes, eles destroem não só as finanças da pessoa, mas emocionalmente. Por vergonha, muitas não contam nada para a família ou para amigos. Elas ficam destruídas”, explicou a caçadora.

Uma vendedora de Sinop (500 km ao Norte de Cuiabá) mantinha um relacionamento com um scammer, que se passou por um engenheiro britânico.

O homem prometeu que viria para Mato Grosso ficar com ela, iriam se casar e tudo mais. E até que iria mandar um anel de brilhantes para ela, por encomenda.

Entretanto, o pacote teria ficado ficou preso na alfândega e seria necessário o pagamento de taxas. Para sair pela tangente, o homem estava com muitas dívidas, com problemas em casa, com filhos, enfim, toda a sorte de desculpas, e a mulher acabou pagando taxa em cima de taxas, totalizando R$ 17 mil.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário